Tamanho do texto

A Suzano Energia Renovável, braço da Suzano Papel e Celulose focada no mercado de produção de biomassa para energia, deverá alcançar um faturamento inicial de US$ 480 milhões por ano

selo

A Suzano Energia Renovável, braço da Suzano Papel e Celulose focada no mercado de produção de biomassa para energia, deverá alcançar um faturamento inicial de US$ 480 milhões por ano. Esse resultado, previsto para ser atingido entre 2013 e 2014, equivale a aproximadamente 20% da atual receita da Suzano Papel e Celulose, informou hoje o presidente da nova empresa, André Dorf. Para alcançar esse resultado, a Suzano Energia Renovável investirá US$ 800 milhões na construção de três unidades de pellets de madeira no Nordeste brasileiro. Outros US$ 500 milhões devem ser aportados na segunda fase do projeto da companhia, previsto para ser aplicado entre 2018 e 2019, que terá mais duas unidades, cada uma com 1 milhão de toneladas de pellets. Concluída essa expansão, o faturamento da nova empresa deverá saltar para US$ 800 milhões anuais. A Suzano Papel e Celulose ainda não definiu a modelagem financeira para a criação da companhia, mas segundo Dorf é possível que os recursos necessários para a segunda fase sejam oriundos da própria geração de caixa da Suzano Energia Renovável. Com capacidade total de 5 milhões de toneladas anuais de pellets de madeira, a nova companhia deverá se tornar líder mundial nesse segmento, posto hoje ocupado pela estatal finlandesa Vapo, cuja capacidade anual é de 1 milhão de toneladas de pellets. A criação da Suzano Energia Renovável foi anunciada hoje e a companhia já assinou memorandos para negociar 2,7 milhões de toneladas de pellets, o equivalente a 90% da oferta inicial de 3 milhões de toneladas anuais. Os principais clientes da nova empresa devem ser as geradoras de energia da Europa, que buscam ampliar a oferta de energia a partir de fontes renováveis.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.