Tamanho do texto

Celulares inteligentes serão 36% dos aparelhos vendidos no mundo

selo

Os smartphones vão se tornar, este ano, a categoria mais importante do mercado brasileiro de celulares. Em janeiro, os aparelhos inteligentes responderam por 43% do faturamento do setor, segundo dados da consultoria GfK. Até o fim do ano, devem ultrapassar os celulares convencionais.

Como são mais caros que os chamados “feature phones” (aparelhos comuns), a participação dos smartphones, em unidades vendidas, é bem menor que a fatia que detêm no faturamento. Em janeiro, por exemplo, ficaram com 17,9% do volume.

“O crescimento dos smartphones é uma tendência mundial”, afirmou Claudia Bindo, gerente de negócios da GfK. A empresa de pesquisas estima que, neste ano, os celulares inteligentes serão 36% dos aparelhos vendidos, no mundo. “Nos países desenvolvidos, os smartphones estão crescendo até mais rapidamente”, disse Claudia. “Um dos fatores que ajudam a desacelerar o crescimento nos países em desenvolvimento é a demanda por aparelhos com mais de um chip.”

Segundo a GfK, foram lançados 212 modelos de celulares no Brasil em 2011. Desse total, 70 eram smartphones. Somente quatro smartphones aceitavam mais de um chip. A tendência para este ano é que mais modelos de celulares inteligentes com mais de um chip cheguem ao mercado brasileiro, reduzindo essa barreira.

A maior fatia do mercado brasileiro está com o Android, do Google, que respondeu por 71% das vendas em janeiro. Outros exemplos são o iOS, da Apple, que roda no iPhone, e o Windows Phone, da Microsoft, que, assim como o Android, não é exclusivo de um fabricante. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.