Tamanho do texto

Empresa que tem como um dos donos o Goldman Sachs negocia com credores, diz agência Reuters

O modelo Beechcraft A-T6, que disputa com o Super Tucano, da Embraer, um contrato com a Força Aérea dos Estados Unidos
Divulgação
O modelo Beechcraft A-T6, que disputa com o Super Tucano, da Embraer, um contrato com a Força Aérea dos Estados Unidos
A Hawker Beechcraft Inc., fabricante de aviões do braço private equity (fundo de investimento em companhias fechadas) do grupo Goldman Sachs e do fundo canadense Onex, está preparando para as próximas semanas um pedido de proteção contra falência, de acordo com a agência de notícias Reuters.

A empresa é pivô da anulação abrupta de um contrato de US$ 355 milhões (R$ 648 milhões) de fornecimento de 20 unidades do avião Super Tucano da brasileira Embraer para a Força Aérea dos EUA. A fabricante americana contestou a licitação na Justiça, após sua aeronave AT-6 ser excluída da competição.

Procurada pela reportagem do iG , a Embraer informa que não comentará a situação da concorrente.

Leia mais: Cancelamento de contrato com Embraer é investigado nos EUA

A Hawker, que foi comprada por fundos equity em 2007 por US$ 3,3 bilhões (R$ 6 bilhões), negocia a falência com seus credores, que incluem os fundos Centerbridge Partners, Angelo Gordon and Capital Research & Management, segundo fontes da agência de notícias.

A Hawker e a Onex se negaram a responder questões sobre o assunto. O Goldman Sachs não foi encontrado para comentar.

A Centerbridge, uma empresa de investimentos sediada em Nova York focada em aquisições alavancadas e aplicações de risco, é o maior credor, de acordo com as tais fontes.

Estes credores também desejariam nomear um gestor para permitir à Hawker continuar em funcionamento durante o período, disse uma das fontes. O financiamento da falência estaria em menos de US$ 500 milhões, mas o valor final ainda é incerto.

O Goldman Sachs Capital Partners, fundo de private equity do banco, e a gestora de canadense Onex compraram a Raytheon Aircraft da Raytheon no começo de 2007, auge do período de aquisições, e a renomearam Hawker Beechcraft.

Negócios: Embraer fecha venda de Super Tucano para três países da África

Porém, o negócio se mostrou inoportuno. A crise financeira de 2008 e a subsequente recessão econômica levaram a uma desaceleração na indústria que atingiu em cheio a fabricante localizada em Wichita, no Estado americano do Kansas. As vendas de jatos executivos, de aeronaves turboélices e de treinamento militar despencaram.

No mercado dos EUA, a Hawker compete com o Gulfstream da General Dynamics o Cessna da Textron. Além da companhia da Embraer, no exterior a empresa enfrenta a canadense Bombardier.

“Vemos está situação como positiva para vendas da Cessna e da Embraer”, disse a analista do Morgan Stanley Heidi Wood. “Nossas conversas com fontes da indústria... indicam uma forte rejeição de clientes em comprar jatos de fabricantes em dificuldade”, disse Wood. “Esperamos que Cessna e Embraer ocupem o mercado da Hawker”.

* Com Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.