Tamanho do texto

Segundo embaixador do Brasil na China, companhia está discutindo com governo chinês para resolver o entrave

O embaixador do Brasil na China, Clodoaldo Hugueney, admitiu nesta quinta-feira que o governo vê com preocupação a restrição imposta pela gigante asiática a entrada dos supergraneleiros da Vale , com capacidade para até 400 mil de toneladas. Segundo ele, a questão foi discutida com a delegação chinesa, em fevereiro, durante a reunião da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban).

Leia também:
Limites para meganavios na China afetam somente Vale
Vale espera esclarecimento da China sobre meganavios

No evento, contou Hugueny, a China ressaltou que a decisão teve como pano de fundo preocupações com a segurança nos portos, que teriam capacidade apenas para receber navios de até 300 mil toneladas. Mas, segundo ele, a delegação chinesa não fechou a porta para a mineradora brasileira e admitiu rever a restrição caso a segurança dos portos possa ser garantida.

O embaixador disse ainda que a Vale também está diretamente discutindo com o governo local formas de resolver esse entrava . "Não vejo que haja um problema maior com essa questão", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.