Tamanho do texto

SEUL/TÓQUIO (Reuters) - A montadora francesa Renault e a indiana Mahindra estão em negociações para comprar a fabricante sul-coreana de veículos utilitários Ssangyong Motor, que passa por dificuldades, disseram fontes nesta sexta-feira, em um negócios de até 500 milhões de dólares.

A participação de grandes companhias internacionais na disputa é vista como uma ameaça potencial ao domínio das sul-coreanas Hyundai e sua afiliada Kia não apenas em seu mercado local, mas também nos externos.

SEUL/TÓQUIO (Reuters) - A montadora francesa Renault e a indiana Mahindra estão em negociações para comprar a fabricante sul-coreana de veículos utilitários Ssangyong Motor, que passa por dificuldades, disseram fontes nesta sexta-feira, em um negócios de até 500 milhões de dólares.

A participação de grandes companhias internacionais na disputa é vista como uma ameaça potencial ao domínio das sul-coreanas Hyundai e sua afiliada Kia não apenas em seu mercado local, mas também nos externos.

Sete companhias estrangeiras e da Coreia do Sul apresentaram propostas de compra da Ssangyong até a sexta-feira, conforme a empresa.

As ações da companhia alvo de aquisição chegaram a subir 15 por cento, limite diário de alta, por conta das notícias do forte e inesperado interesse.

Mesmo com a recusa da pequena fabricante de veículos da Coreia do Sul em revelar os nomes dos interessados na compra, fontes afirmaram que a Renault e a sua parceira japonesa Nissan, além da indiana Mahindra & Mahindra, haviam entrado na disputa.

A Ssangyong está em processo de recuperação judicial desde o início de 2009, depois de uma das piores crises globais no setor automotivo.

A Nissan e a Ssangyong não quiseram falar do assunto, enquanto um porta-voz da Renault em Paris disse que "por razões legais, não podemos fazer nenhum comentário". Já o presidente da Mahindra, Pawan Goenka, disse: "Nós não fazemos nenhum comentário sobre possibilidades de aquisições futuras".

(Por Kim Yeon-hee e Chang Ran Kim)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.