Tamanho do texto

Inovar é um processo que requer mais do que criatividade; empresa faturou R$ 5,7 bilhões com novos eletrodomésticos

A busca por tendências e a tentativa de antecipar o que será o próximo objeto de desejo dos consumidores se tornou uma obsessão dentro da Whirlpool de dez anos para cá. A razão disso pode ser expressa em números: mais de 20% da receita da companhia veio de produtos inovadores em 2010, um montante de R$ 5,7 bilhões (US$ 3,6 bilhões). No Brasil, a Whirlpool é dona das marcas Consul e Brastemp.

A grande guinada da empresa no rumo da inovação foi há dez anos. A companhia reuniu 75 funcionários de diferentes países e áreas de atuação para um treinamento sobre geração de ideias e lançamentos de produtos. Batizados de I-mentors (mentores da inovação), eles definiram palavras-chaves, que representam as tendências que a companhia deve perseguir.

“É melhor reunir tendências e trabalhar com esses conceitos do que achar que as boas ideias vão surgir usando apenas jogos engraçados”, afirma Nancy Tennant, vice-presidente de inovação da Whirlpool.

Lançamento com valor agregado

De volta aos seus países de origem, os “I-mentors” tiveram a missão de preparar toda a equipe para a corrida pela inovação. A companhia passou a ter metas de lançamentos de novas tecnologias, mas se deparou com uma dúvida: o que diferencia um produto novo de um inovador?

Para evitar que qualquer novidade entrasse na conta da inovação, a Whirlpool definiu um conceito para o tema em 2004. De lá para cá, um produto precisa passar em três critérios para ganhar o “carimbo” de inovador: ser único no mercado, estimulante a ponto de justificar um preço maior e gerar valor para os acionistas.

Hoje, 22% do portfólio da Whirlpool recebe essa classificação, que é atualizada a cada ano. “As pessoas acham que inovar é lançar o novo iPad. O que nós temos são pequenas invenções, mas com um grande portfólio”, diz Nancy. Para ela, mais do que um design bonito, um produto inovador deve trazer um valor que seja reconhecido pelo cliente.

Purificador de água para locação da Brastemp, produto foi classificado como inovador
Divulgação
Purificador de água para locação da Brastemp, produto foi classificado como inovador
Um exemplo é a geladeira de uma porta “frost free”, produto da Consul que se tornou uma peça global. Antes do lançamento dela, apenas os refrigeradores de duas portas ofereciam a funcionalidade, que dispensa a necessidade de descongelar o equipamento.

Outro produto brasileiro considerado inovador é o aluguel de filtros de água da Whirlpool. Ao perceber que muitas pessoas se recusam a beber água da torneira, mas enfrentam dificuldades em comprar galões de água, a empresa lançou um produto de aluguel de filtros. Hoje, há cerca de 1.200 clientes do serviço no País.

(A jornalista viajou a convite da Whirlpool)

Leia mais sobre inovação:

As lições de inovação de Steve Jobs – e como aprender com elas

Finep: inovar no Brasil é caro, arriscado e não remunera bem

Por que algumas empresas inovam com sucesso e outras não?

Patentes: dirigentes apostam em inovação "Made in China"

    Leia tudo sobre: inovação
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.