Tamanho do texto

Coca-Cola light plus, lançada em janeiro, chegou ao mercado com uma embalagem 12% menor que a original

Lançada no início de janeiro, a nova versão da Coca-Cola light, a Coca-Cola light plus, chegou ao mercado com uma embalagem 12% menor que a original, mas o preço não foi reduzido. A versão em lata trazia 350 ml e passou a ser comercializada em uma embalagem de 310 ml.

Segundo a empresa, o valor foi mantido porque a tecnologia para adicionar vitaminas e minerais aumentou os custos de produção. A mudança do tamanho da embalagem ocorreu para marcar o lançamento do produto. "Não foi possível alterar o preço", informou a Coca-Cola, por meio de sua assessoria de imprensa.

Em uma busca feita na tarde desta quarta-feira na loja virtual do Pão de Açúcar, a lata de 350 ml da Coca-Cola tradicional era oferecida por R$ 1,44. No site da rede Angeloni, a mesma lata saía por R$ 1,39. Segundo a companhia, o preço médio para o consumidor da Coca light plus tem sido de R$ 2.

A redução de 12% no volume de refrigerante na lata é informada na embalagem. Os consumidores podem não se dar conta da redução, já que os comerciantes geralmente não alertam sobre a mudança.

O encarecimento da produção é também a justificativa, segundo a empresa, para o fato de a light plus, na garrafa de 1,5 litro, custar mais que a versão tradicional. A Coca-Cola informou que o preço da embalagem de 1,5 litro da nova versão do refrigerante é de R$ 4. O da antiga Coca-Cola light era de cerca de R$ 3,50.

Aos 13 anos, a aposentadoria

A Coca-Cola decidiu aposentar a antiga light - lançada em 1996 para substituir a Diet Coke - por conta da perda de mercado do refrigerante. As vendas da Coca light foram superadas pelas da Coca Zero, lançada em 2007.

A Coca-Cola Brasil atua em sete segmentos do setor de bebidas não-alcoólicas, com uma linha de mais de 150 produtos. Segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas Não-Alcóolicas (ABIR), a empresa foi responsável por 56,6% do volume de refrigerantes consumidos no País no ano passado.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.