Tamanho do texto

Procurador dá cinco dias para empresa se pronunciar e esclarecer medidas de prevenção

O Ministério Público Federal (MPF) em Alagoas deu cinco dias para que a petroquímica Braskem apresente sua versão sobre os acidentes em sua fábrica de cloro e soda em Maceió. O pedido, um processo administrativo antes de uma possível instauração de inquérito, foi feito pelo procurador regional Rodrigo Tenório.

Em seu pedido, o procurador espera que a empresa apresente a avaliação de risco o qual a população local está submetida além das medidas de atendimento aos moradores da região afetada.

No sábado, houve um vazamento de cloro que atingiu o bairro onde está a fábrica. Ao todo, 130 pessoas foram atendidas no Hospitel Geral do Estado. Na madrugada desta segunda-feira, um novo acidente, um rompimento de tubulação, que atingiu cinco trabalhadores - foram internados, apenas um já teve alta.

O Ministério Público pede ainda informações ao hospital, ao Instituto do Meio Ambiente do Maceió ( IMA) e ao sindicato de trabalhadores de Comissão Interna de Prevenção a Acidentes (Cipa) dos funcionários da indústria.