Tamanho do texto

RIO - O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, respondeu as críticas do ex-presidente do Banco Central e sócio da Gávea Investimentos, Armínio Fraga, para quem a capitalização da estatal não foi bem aceita pelos investidores estrangeiros

. Para Gabrielli, Fraga não representa a opinião de tais investidores. "Quem se manifesta sobre investidor estrangeiro é o investidor estrangeiro, que compra ou não compra ações. A demanda foi maior do que eles queriam. Se o Gávea, que estava sendo vendido para o JP Morgan, não comprou, problema dele. Não pode falar em nome dos investidores estrangeiros", frisou Gabrielli, que participou do lançamento do programa ambiental da Petrobras hoje, no Rio. O presidente da estatal se referia às afirmações de Fraga, feitas pela manhã, de que os investidores estrangeiros criticavam o fato de a operação se dar entre "partes relacionadas". Questionado sobre uma possível volta ao mercado para captação de recursos no curto prazo, Gabrielli foi taxativo. "Acabamos de fazer uma capitalização enorme", disse. "Não tem porque voltar ao mercado agora", acrescentou. O executivo também não poupou o candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, e afirmou que a estatal não tem o poder legal de fazer concessões de blocos. "Dizer que a Petrobras, no seu Conselho de Administração, aprovou concessões é um erro crasso, básico. Não é função da Petrobras distribuir concessões", ressaltou, rebatendo também a afirmação de Serra de que o ex-presidente e atual senador Fernando Collor tem influência na estatal. "É opinião dele [Serra]. Ele tem que provar". (Rafael Rosas | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.