Tamanho do texto

Empresa poderá construir linha de 53km no deserto de Pilbara

A Rio Tinto está mais próxima de co-desenvolver um projeto de minério de ferro com capacidade de 15 milhões de toneladas por ano, no cinturão ferrífero de Pilbara, na Austrália, após obter aprovação do governo para construir uma nova linha ferroviária.

Transporte ferroviário e energia mantêm viva a extração de minério de ferro em Pilbara, um deserto de 500 mil quilômetros quadrados e a maior fonte única deste minério no mundo.

As aprovações liberam o caminho para um projeto ferroviário e energético para conectar a mina Hope Downs 4, uma joint-venture da Rio Tinto com a Hancock Prospecting, à existente mina Hope Downs 1, antes de ser enviado à terminais de exportação na costa do país.

O líder político da Austrália Ocidental, região no oeste do país, disse que os parceiros obtiveram uma licença especial para uma linha ferroviária de 53 quilômetros e estavam liberados para construir uma linha de transmissão elétrica de 220 kilovolts, a fim de levar o projeto para frente.

"Estas aprovações são o passo final para o desenvolvimento da mina de Hope Downs 4, de 15 milhões de toneladas por ano, a um custo total estimado de mais de 1,2 bilhão de dólares", disse o líder político Colin Barnett em um comunicado.

O fornecimento global de minério de ferro precisa crescer em 100 milhões de toneladas por ano para manter o ritmo da crescente demanda, segundo a Rio Tinto, segunda maior produtora após a Vale.

A Rio Tinto mapeou planos para aumentar sua produção anual de minério de ferro em Pilbara para 283 milhões de toneladas em 2013, ante 225 milhões de tonaledas atuais.

(Por James Regan)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.