Tamanho do texto

Anúncio foi feito durante a viagem da presidenta Dilma à China; investimento não foi detalhado e será usado na produção de tablets

A presidenta Dilma Rousseff anunciou que a Foxconn, empresa que atua na montagem de produtos eletrônicos para marcas como Apple e Sony, deverá investir US$ 12 bilhões (cerca de R$ 20 bilhões) em uma fábrica no Brasil em até seis anos, conforme antecipou o iG . A unidade brasileira produzirá displays para tablets como o iPad e outros eletrônicos, como celulares.

O investimento, maior do que o empréstimo que a China fez à Petrobras no governo Lula, será usado na construção do que já está sendo batizado de Cidade Inteligente .

Dilma teve reuniões a portas fechadas com representantes da empresa nesta terça-feira em Beijing, no segundo dia do total de seis que passará na China.

A Apple está de olho na consulta aberta pelo ministério das Comunicações que propõe desonerações para as empresas que produzirem esse tipo de microcomputador portátil no país. A proposta prevê redução de IPI de forma a diminuir o preço final dos tablets em mais de 30%. Sem fábrica no Brasil, a Apple perderia a chance de participar da disputa, que tem como principal concorrente a Positivo Informática.

Segundo Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, a empresa que instalar uma fábrica de tablets no Brasil tenderá a produzir também para exportar. “Se fizerem uma plataforma aqui para produzir, não vai ser para vender só para o Brasil, até porque o produtor ganha em escala”, disse ele ao iG .

Além de produtos Apple, como iPads e iPhones, a Foxconn também fabrica placas para a Intel, peças para computadores e games como o Wii, da Nintendo e o PlayStation 3, da Sony. A empresa tem fábricas em Jundiaí e Indaiatuba (SP) e Manaus (AM).