Tamanho do texto

Fabricante brasileira anunciou a venda de 57 aeronaves ao preço de US$ 2,2 bi. Já a canadense computou apenas nove pedidos

O presidente da Embraer, Frederico Curado (à esq), posa ao lado de Jim French, da Flybe, durante feira de aviões
AFP
O presidente da Embraer, Frederico Curado (à esq), posa ao lado de Jim French, da Flybe, durante feira de aviões
Se as duas maiores fabricantes de aviões do mundo disputam cabeça a cabeça os pedidos de novos aviões durante a feira internacional de Farnborough, na Inglaterra, o mesmo não pode ser dito em relação à disputa entre a Embraer e a Bombardier. Ao final do segundo dia de evento, a empresa brasileira acumulava vendas de 57 aeronaves avaliadas em US$ 2,2 bilhões, número seis vezes maior do que a concorrente canadense.

O maior pedido da Embraer foi feito pela britânica Flybe, que encomendou 35 E175, que tem capacidade para transportar 88 passageiros. A compra está avaliada em US$ 1,3 bilhão. Já a empresa de leasing de aviões Air Lease Corp anunciou a aquisição de 15 E190, um negócio de US$ 600 milhões. Na manhã desta terça-feira, duas companhias aéreas brasileiras revelaram a compra de sete aeronaves: cinco para a Azul e dois para a Trip, um total de US$ 300 milhões.

Durante os dois dias realização da feira, as duas maiores fabricantes de aviões do mundo, a Boeing e a Airbus, anunciaram a venda de 243 aeronaves que, juntas, estão avaliadas em US$ 23 bilhões. Nessa disputa, a Airbus está um pouco na frente: comercializou 122 aviões, um a mais do que a concorrente americana.

Neste ano, a feira internacional de aviação está sendo realizada no Aeroporto de Farnborough, nos arredores da cidade de Londres, capital da Inglaterra, e envolve 1.300 expositores de 38 países. No próximo fim de semana, a feira será aberta para o grande público. A estimativa é que a exposição, que ocorre desde 1948, receba cerca de 250 mil visitantes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.