Tamanho do texto

Fabricante ainda aguarda explicação sobre cancelamento de contrato de US$ 355 milhões

selo

Modelo Super Tucano da Embraer seria usado no treinamento de forças no Afeganistão
Reprodução
Modelo Super Tucano da Embraer seria usado no treinamento de forças no Afeganistão
A Embraer espera poder participar de um novo processo de licitação da Força Aérea americana, em função do cancelamento anunciado em fevereiro da concorrência que havia sido vencida pela empresa brasileira. "Isso vai depender das condições da nova concorrência, para ver se teremos condições de participar, mas acredito que teremos", afirmou o vice-presidente Financeiro e de Relações com Investidores da Embraer, Paulo Penido, durante teleconferência com jornalistas.

Segundo ele, a empresa ainda aguarda esclarecimentos sobre o cancelamento. "Temos de esperar os fatos, as decisões do cliente", disse. No dia 28 de fevereiro, a Força Aérea dos Estados Unidos cancelou o contrato de US$ 355 milhões para fornecimento de 20 aviões Super Tucano, da Embraer, alegando problemas com a documentação.

A empresa brasileira, que participou da disputa em parceria com a norte-americana Sierra Nevada, havia sido declarada vitoriosa no dia 30 de dezembro de 2011, mas, no começo de janeiro, o governo dos Estados Unidos já havia suspendido temporariamente a compra depois que uma rival, a americana Hawker Beechcraft, contestou na Justiça o resultado da licitação. As aeronaves seriam utilizadas para treinamento avançado em voo, reconhecimento e operações de apoio aéreo no Afeganistão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.