Tamanho do texto

Empresa terá de realizar a adequação ambiental da Usina Presidente Vargas, em Volta Redonda, no Rio de Janeiro

Benjamin Steinbruch, dono da CSN, que fica em Volta Redonda (RJ)
AE
Benjamin Steinbruch, dono da CSN, que fica em Volta Redonda (RJ)
A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), do empresário Benjamin Steinbruch, terá de investir R$ 216 milhões para adequação ambiental na Usina Presidente Vargas, em Volta Redonda, no Rio de Janeiro.

Trata-se de um acordo que a empresa fechou com a Secretaria Estadual do Ambiente ao assinar o Termo de Ajuste de Conduta (TAC). A assinatura é uma pré-condição para a renovação das licenças ambientais da siderúrgica. A proposta inicial do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) era que a siderúrgica deveria investir R$ 250 milhões em 90 ações para reduzir os riscos ambientais.

O montante foi reduzido para R$ 16 milhões de gastos com compensações ambientais e R$ 200 milhões em 90 ações na área da usina Presidente Vargas, no município de Volta Redonda. A companhia vai precisar cumprir um plano de ação em que estão previstas diversas obrigações, dentro de um cronograma de três anos.

Em caso de descumprimento, a CSN poderá ser multada por cada ação não realizada. Em nota, a secretária do Ambiente do Rio, Marilene Ramos, disse que a cooperação da CSN é uma "virada na história da usina", pois além de estar concentrada em uma área urbana, está localizada próxima ao maior manancial do Estado, no Rio Paraíba do Sul.

A secretária avisou que vai acompanhar o cumprimento do TAC. As exigências à CSN resultaram de uma auditoria, realizada entre setembro e dezembro do ano passado, após o vazamento de um material oleoso da unidade de carboquímicos que atingiu o Rio Paraíba do Sul.

Segundo a secretária, a auditoria identificou na siderúrgica falta de conformidades com os padrões ambientais vigentes. As correções já estão sendo feitas desde o acidente. Entre as ações que a CSN terá que cumprir, estão o monitoramento contínuo da poluição do ar, o acompanhamento do benzeno emitido e o incremento de medidas de controle das emissões de partículas prejudiciais ao ar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.