Tamanho do texto

É a segunda vez que o conselho rejeita o plano proposto --a primeira vez foi em 13 de maio

O conselho de administração da Petrobras decidiu não aprovar, pela segunda vez, a proposta da diretoria da estatal para o plano de investimentos do período de 2011 a 2015, pedindo mais estudos sobre o pacote, confirmou a Petrobras em comunicado, após fontes terem adiantado à Reuters a negativa para o plano.

A proposta apresentada nesta sexta-feira foi uma revisão do plano original mostrado ao conselho em 13 de maio, que havia sido rejeitado.

Fontes dentro da petroleira haviam informado à Reuters durante a semana que a nova proposta do plano de investimentos iria priorizar a geração de caixa.

O novo plano seguiria o desejo de muitos acionistas de não elevar investimentos em refinarias, focando mais os recursos na exploração e desenvolvimento das novas descobertas.

"Deve levar mais de uma semana para ajustar tudo", disse uma fonte sobre os novas alterações propostas, sem dar detalhes.

Na primeira vez que rejeitou o plano, o conselho pediu para que a diretoria cortasse o volume de investimentos, que se aproximava dos US$ 250 bilhões, para algo próximo aos US$ 224 bilhões projetados no plano anterior, de 2010 a 2014.

Para o analista Lucas Brendler, da Geração Futuro, a notícia é positiva para a Petrobras porque mostra que está havendo cautela por parte dos dirigentes da companhia.

"Provavelmente não se adequou ao que eles (conselho) querem e é positivo para a empresa, porque mostra que estão tendo cautela, afinal, é muito dinheiro envolvido. Não demora muito sai", disse.

As ações da empresa fecharam em queda de 0,2% nesta sexta-feira na Bovespa, enquanto o índice principal da bolsa registrou pequena alta de 0,29%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.