Tamanho do texto

Empresa quer seguir de perto obra de fábrica em Jacareí, situação do mercado nacional e o debate sobre regras do setor automotivo

Mudança no IPI antecipou em um ano as mudanças na montadora chinesa
Divulgação
Mudança no IPI antecipou em um ano as mudanças na montadora chinesa
A montadora chinesa Chery assumiu os negócios da marca no Brasil e trouxe da China novos executivos para a direção da filial brasileira. A marca era antes representada por uma importadora brasileira, a Venko, que, nos próximos dois meses, vai transferir para a Chery a rede de distribuição com 105 lojas no país.

Com as mudanças, a Chery quer acompanhar mais de perto a construção da fábrica de carros em Jacareí (SP), a evolução do mercado brasileiro e também as discussões com o governo sobre a flexibilização das regras do regime automotivo - cujo aumento do IPI atingiu em cheio as importações de veículos.

A mudança de gestão já era prevista, mas foi antecipada em um ano em razão do novo regime. Na nova estrutura administrativa, Kong Fan Long, que era responsável pelo controle de qualidade dos veículos da montadora na China, assume a presidência da Chery no Brasil. Ele será assessorado por outros dois executivos chineses: Du Weiqiang, vice-presidente da Chery Brasil, e Wu Dejun, vice-presidente e diretor industrial da Chery Brasil. Luís Curi, presidente da Venko, segue no negócio como diretor comercial da montadora no país.

A partir dessas mudanças, a Venko deixa de representar a Chery, mas continuará no mercado com a importação da Rely, marca dos veículos utilitários da montadora chinesa que terá uma rede de distribuição independente no Brasil. Curi informou que pretende trazer esses veículos ao país a partir de junho ou julho e que já começou a desenvolver uma rede que inicialmente terá 30 revendas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.