Tamanho do texto

Siderúrgicas desafiam aperto no crédito, margens mínimas e possível racionamento de energia e produzem 60,25 milhões de toneladas

As siderúrgicas chinesas desafiaram o aperto no crédito, margens mínimas e um possível racionamento de energia para produzirem um volume histórico de 60,25 milhões de toneladas de aço em maio. O recorde veio apesar de uma ligeira queda no volume diário produzido.

A produção de aço diária do país caiu para 1,94 milhão de toneladas em relação ao pico atingido de 1,968 milhão, mas a indústria ainda espera que a produção se mantenha alta até que a calmaria sazonal na demanda ocorra em julho.

No geral, a produção chinesa de aço em maio foi 2% maior que a de abril, segundo dados divulgados nesta terça-feira pela Agência Nacional de Estatísticas.

"Não vejo que haverá qualquer mudança muito grande em junho. A produção nas grandes siderúrgicas não foi cortada, especialmente na parte de longos, apesar de ter havido ligeira queda em planos", disse Hu Yanping, analista da consultoria Custeel.

A demanda por aço costuma começar a cair nos meses de alto verão, conforme a atividade de construção desacelera, e a siderúrgica Baosteel já cortou preços para entregas em julho em 200 iuans (US$ 30,85) a tonelada.

Operadores afirmam que, apesar da demanda não estar espetacularmente alta agora, ela está se mantendo num nível razoavelmente positivo.

"A demanda doméstica está razoável agora com o mercado preocupado com uma inflação em nível tão elevado, mas eu não espero que os preços caiam tanto em junho depois das quedas em maio", afirmou um operador em Pequim.

Por enquanto, as medidas de aperto no crédito na China não tiveram impacto visível na produção de aço e também não conseguiram conter a alta na inflação, que atingiu um pico em 34 meses em maio, a 5,5 por cento.

Analistas sugerem que as siderúrgicas da China estão tentando produzir o máximo que puderem antes de um esperado aperto na oferta de eletricidade durante o verão, em que a escassez de capacidade pode chegar a 40 gigawatts.

As siderúrgicas devem ser as primeiras a sofrer com qualquer campanha nacional de redução no consumo de eletricidade quando o consumo de energia atingir o pico no próximo mês.

A produção de aço bruto na China tem se mantido em mais de 1,9 milhão de toneladas por dia desde fevereiro, ante uma média de 1,7 milhão no ano passado, apesar dos alertas da associação do setor, Cisa, de que excesso de produção está erodindo as margens de lucro do setor.

"As siderúrgicas chinesas estão produzindo tanto porque ainda estão conseguindo lucro, apesar de não ser um ganho muito grande", disse um operador em Pequim.