Tamanho do texto

Com 120 engenheiros, o novo centro é parte de um aporte de R$ 700 milhões para construir a primeira fábrica no País

O Chery S18: tecnologia chinesa que será fabricada no Brasil
Divulgação
O Chery S18: tecnologia chinesa que será fabricada no Brasil
A montadora chinesa Chery vai investir cerca de R$ 150 milhões no centro de pesquisa e desenvolvimento (P&D) que vai inaugurar no Brasil nos próximos anos. Ao todo, serão 120 engenheiros que vão trabalhar em novos projetos de carros e vans para toda a América Latina. O primeiro centro de pesquisa e desenvolvimento da Chery fora da China é parte de um investimento de R$ 700 milhões que a fabricante de carros vai fazer no País nos próximos anos. “É um mercado estratégico para a empresa”, disse Luis Francisco Curi, presidente da Chery no Brasil.

O centro de P&D e a fábrica da Chery serão construídos em Jacareí, a 70 quilômetros de São Paulo. O início da produção está previsto para 2013 e, no primeiro ano, a montadora chinesa quer fabricar 50 mil carros, que terão até 50% de índice de nacionalização. A produção deve aumentar em 60% no ano seguinte. Em 2015, a previsão é de que 170 mil veículos saiam da linha de montagem da fabricante chinesa. O aumento da produção será acompanhado do aumento no índice de nacionalização. A ideia é que até 63% das peças sejam produzidas no Brasil. A princípio serão montados no País os utilitários S18 e A13.

A escolha de Jacareí como local para a fábrica da Chery no Brasil foi feita de acordo com critérios técnicos. Entre outras coisas, a fabricante escolheu a cidade por causa do alto número de engenheiros na região. Apesar disso, a montadora já encontra dificuldades para contratar funcionários. “Já estamos sentindo a escassez de mão de obra qualificada”, afirmou Curi durante o Congresso SAE Brasil 2010, encerrado nesta quinta-feira em São Paulo. “Por causa disso, até convenci uma das minhas filhas a prestar engenharia”.

A história da Chery no Brasil é recente. A fabricante chinesa começou a vender seus automóveis no Brasil no ano passado, mas tem planos audaciosos para o País. Até 2013, a empresa quer conquistar até 3% do mercado brasileiro – em números atuais, algo em torno de 102 mil veículos ao ano. Hoje, a Chery tem apenas 0,30% do mercado brasileiro e ocupa a 18ª colocação no ranking das montadoras que mais vendem. Para mudar o cenário, a Chery quer ampliar em até quatro vezes a rede de 50 concessionárias no País.

Terceiro maior do mundo

Outra novidade da Chery para ganhar mercado é a chegada de modelos equipados com motores flex. Os motores bicombustível serão fabricados na China. “É a primeira vez que isso vai acontecer”, disse Curi à agência Reuters. Outro fator que vai ajudar a empresa a crescer é o aumento do mercado. De acordo com uma pesquisa encomendada para Chery, o mercado brasileiro de carros deve chegar a cinco milhões de unidades em 2015, aumento de 32% em relação ao ano passado.

“Estou convicto de que o Brasil será um dos três maiores mercados de automóveis do mundo”, disse Curi durante o evento. Com sede em Wuhu, província chinesa de Anhui, a Chery está presente em 70 países e tem 15 fábricas, a maioria delas na Ásia. Ao todo, são 22 mil funcionários, sendo que seis mil deles dão expediente no centro de pesquisa e desenvolvimento que a empresa mantém na China.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.