Tamanho do texto

Mesmo com duas quedas seguidas de vendas, o Brasil manteve sua posição no ranking global, atrás de China, EUA e Japão

Mesmo com duas quedas seguidas de vendas, em abril e maio, o Brasil conseguiu manter-se como quarto maior mercado mundial de automóveis, atrás de China, Estados Unidos e Japão. O País vendeu, nos primeiros cinco meses do ano, 1,316 milhão de veículos, enquanto a Alemanha, que até o ano passado ocupava o posto, vendeu 1,18 milhão. A aposta de analistas é de que o Brasil vai segurar sua posição no ranking mundial durante o ano.

 O mercado brasileiro vinha num ritmo de vendas acelerado durante todo o ano de 2009 e no primeiro trimestre deste ano, que fechou com o recorde mensal de 353,7 mil veículos vendidos em março, incluindo caminhões e ônibus. Nesse período, o consumo foi beneficiado pela redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que voltou a ser cobrado integralmente em abril. No primeiro mês sem desconto no IPI, as vendas caíram 21,5%, para 277,8 mil unidades. Em maio, houve nova queda de quase 10%, para 251,1 mil veículos. No acumulado do ano, entretanto, o resultado é o melhor obtido para esse período.

A projeção das fabricantes é de encerrar 2010 com 3,4 milhões de veículos vendidos, 8% a mais do que no ano passado. Esse volume, se confirmado, deverá assegurar o posto de quarto maior mercado global de veículos, uma posição à frente da obtida no ano passado. As previsões de analistas apontam que as vendas na Alemanha continuarão em queda.

Uma vez conquistado o quarto lugar no ranking dificilmente o Brasil avançará mais. A China, líder da lista, vendeu de janeiro a maio 5,4 milhões de veículos e os Estados Unidos, que começam a se recuperar da crise, venderam 4,6 milhões, segundo dados preliminares. O Japão, terceiro colocado, acumula até agora 2,08 milhões de veículos comercializados.

O mercado aquecido, mesmo quando a maioria dos demais países estava em queda diante da crise financeira internacional, colocou o Brasil em posição de destaque em mais uma lista. O modelo Gol, fabricado pela Volkswagen, está em 11.º lugar entre os automóveis mais vendidos por país, de uma relação pesquisada de 100 países pela consultoria Jato Dynamics do Brasil. O modelo, lançado há 30 anos, está em sua quinta geração. No primeiro quadrimestre, período avaliado pela Jato, foram vendidas 85,4 mil unidades do Gol.

O ranking é liderado por um carro chinês, o Rongguang, fabricado pela Wuling, com 409,5 mil unidades. Segundo e terceiro postos também são de carros produzidos na China: o Stars, da Chana, e o F3, da BYD, com 224,2 mil e 203,9 mil unidades comercializadas, respectivamente. Na relação dos 20 automóveis mais vendidos por país, 8 são fabricados nos Estados Unidos, 7 na China e 3 no Japão. Brasil e Índia participam com um modelo cada.

Segundo Luiz Carlos Augusto, diretor de vendas e marketing da Jato, o objetivo do levantamento é mostrar a importância que um único modelo pode ter nos volumes de vendas de cada país. "O Gol pesa muito no desempenho do Brasil no mercado mundial", afirma Augusto.

Há mercados em que a pulverização de modelos é grande, principalmente nos países europeus. Por isso, não há um carro específico que se destaque em vendas, explica o consultor. Uno na frente. Líder de vendas no mercado brasileiro há quase 23 anos, o Gol já vendeu 109,6 mil unidades neste ano, quando se somam também os números de maio. A segunda posição, que há anos era do Fiat Palio, teve uma mudança curiosa.

O Uno, também da Fiat, ocupou o posto com 63,5 mil unidades vendidas, pouco mais de cem unidades à frente do "irmão". Só no mês de maio, quando foi lançada a nova versão do Uno, foram vendidas 14 mil unidades da nova e da antiga versão, resultado atrás apenas do Gol, com 24,2 mil. O Palio teve um dos seus piores desempenhos, caindo para a quinta posição (10,4 mil unidades) no mês passado, tendo à sua frente também o Chevrolet Corsa/Classic sedã (11,3 mil unidades) e o Volkswagen Fox (10,8 mil unidades).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.