Tamanho do texto

Iniciativa deverá integrar a Política de Desenvolvimento da Competitividade para incentivar a indústria brasileira

selo

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, informou nesta sexta-feira que o governo federal estuda um regime de desoneração tributária para investimentos na construção de redes de fibras óticas no Brasil. A iniciativa deverá integrar a Política de Desenvolvimento da Competitividade (PDC), conjunto de medidas em estudo pelo Palácio do Planalto para incentivar a indústria brasileira.

De acordo com o ministro, a expectativa é de que as propostas estejam prontas em setembro e, dentre elas, haja uma "seção específica" para comunicações e telecomunicações. "Não posso dar detalhes porque estamos discutindo, mas a orientação é de que, dentro dessa política industrial, exista também uma seção específica para comunicações e telecomunicações", disse o ministro, após participar de debate no Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras, promovido pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), na capital paulista.

"O que estamos pensando é em um regime para desonerar todos os investimentos relativos à construção de redes de telecomunicações no Brasil, com um viés de produção nacional", afirmou. O ministro explicou que o foco da iniciativa será o incentivo à construção de redes de fibra ótica e informou que o governo federal estuda também conceder benefícios à produção de equipamentos de transmissão, como roteadores e modems. "Não vou ficar falando, senão vou levar um puxão de orelha", brincou.

Games

Bernardo voltou a defender uma política para o desenvolvimento de games no Brasil. A ideia, segundo ele, já foi discutida com o Ministério da Fazenda. "Eles têm uma visão positiva mas, claro, são cautelosos porque têm de fazer a conta e ver o impacto disso", afirmou. Na semana passada, em evento na capital paulista, o ministro ressaltou que uma política para os games teria o objetivo de baratear o preço dos produtos e gerar empregos no Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.