Tamanho do texto

EADS revela jato-conceito na maior feira da aviação em Paris; Zhest, como é chamado, viajará comercialmente em 2050

Uma das fabricantes do jato supersônico Concorde, aposentado desde 2003, parece não ter desistido totalmente dos aviões ultrarápidos.

Na maior feira de aviação que ocorre nesta semana em Paris, a fabricante europeia EADS revelou o plano de criar o avião hipersônico Zhest, um modelo conceito que, se sair do papel, poderá cumprir a distância de voo entre São Paulo e Londres (cerca de 9.500 quilômetros) em duas horas e meia.

Essa é a mesma distância que separa Londres a Tóquio ou a capital japonesa a Los Angeles, voos que duram cerca de 11 horas.

null

Visto como um herdeiro do Concorde, o avião será impulsionado por uma mistura de hidrogênio e oxigênio, tornando-se virtualmente livre de emissões de poluentes. Zhest é uma sigla, em tradução livre do inglês, de Transporte Hipersônico com Zero de Emissão.

Um foguete acoplado lançaria o avião para o alto. A aeronave viajaria a 32 quilômetros de altitude do chão, quase três vezes acima da altitude convencional dos jatos comerciais de atualidade. Além disso, sua velocidade seria quatro vezes a velocidade do som, alcançando 4800 quilômetros por hora, o dobro do que o Concorde voava.

Nos planos da empresa, o Zhest só estaria comercialmente viável daqui a 40 anos, ou seja, em 2050. O avião comportaria 60 a 100 passageiros.

O Concorde acabou deixado de lado depois do fatídico – e único – acidente ocorrido em mais de 30 anos de história, após uma decolagem em julho de 2000 do aeroporto Charles de Gaulle, em Paris.

Durante a feira, que começou neste domingo em Paris, um avião da Airbus se chocou no pátio de manobras , perdendo parte da asa em um prédio onde a Embraer faz sua exibição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.