Tamanho do texto

Demanda brasileira em alta motiva siderúrgica a transformar insumo no País em vez de exportar matéria-prima

Motivada pela crescente demanda por aço no Brasil, a ArcellorMittal estuda a possibilidade de contrução de uma nova unidade produtiva em Tubarão, no Espírito Santo, onde já produz o insumo bruto. A ideia é transformar o produto semiacabado em chapas, prontas, por exemplo, para o consumo de fabricantes de eletrodomésticos e indústria automotiva - em vez de exportar a matéria-prima.

A empresa já lamina um pouco de sua produção de aço no Sul do País, mas ainda vende para o exterior boa parte dos semiacabados que produz. O diretor comercial da ArcelorMittal Tubarão, Gustavo Humberto Fontana Pinto, afirmou que o projeto ainda será submetido ao Conselho de Administração da companhia. "Estamos sempre revisitando o crescimento do país e as necessidades da demanda".

"Poderemos nos manifestar sobre isso até o fim do ano", disse Fontana, após palestrar no 65º Congresso Internacional da Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração (ABM), no Rio de Janeiro.

Do total de 7,5 milhões de toneladas de aço bruto produzidos em Tubarão, 3,5 milhões de toneladas de produtos semiacabados são exportados. Um milhão de toneladas são destinadas ao Sul do País para a laminação a frio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.