Tamanho do texto

Plano de corte de custos abrange tanto operários como executivos, de todas as idades

selo

A siderúrgica global ArcelorMittal confirmou nesta terça-feira que cortará 630 dos 6 mil empregos de sua fábrica na República Checa na cidade de Ostrava, oeste do país, para aumentar sua competitividade. A ArcelorMittal recebeu 700 pedidos, no âmbito de um plano de demissão voluntária, pelo qual oferece aos empregados entre 11 e 24 meses de salário, dependendo do tempo deles de casa, como parte de um pacote de compensações.

"O número de 630 não é definitivo, o processo ainda está em andamento.  O plano abrange tanto operários como executivos, de todas as idades", informou uma porta-voz da Ostrava, Vera Breiova, em entrevista à France Presse. O braço checo da ArcelorMittal cortou 1.200 empregos em 2009. As primeiras demissões voluntárias agora devem começar em 31 de janeiro. A situação econômica mais difícil na Europa parece ter determinado a decisão da companhia.

Breiova disse que a ação foi tomada como "parte dos esforços para aumentar a produtividade do trabalhador". Segundo ela, considerando-se a situação incerta no mercado de aço na Europa, "a companhia precisa ser competitiva". Enquanto isso, um sindicalista local que representa trabalhadores da fábrica, Vitezslav Prak, afirmou que sindicatos devem buscar aumentos salariais para os funcionários que seguem na companhia. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.