Tamanho do texto

Sindicato pediu interdição emergencial e apuração de denúncias de situações de risco na plataforma da Petrobras

selo

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) suspendeu hoje as atividades da plataforma P-33, da Petrobras, que opera no campo de Marlim, na Bacia de Campos. "Pela natureza dos dados obtidos na última ação de fiscalização, ocorrida nos dias 11 e 12 de agosto, e com o objetivo de resguardar a segurança das operações e dos trabalhadores, a ANP decidiu suspender cautelarmente as operações na P-33 até que os níveis de segurança requeridos sejam restabelecidos, autuando a Petrobras e garantindo-lhe o direito à defesa", diz nota enviada à imprensa. A P-33 tem produção em torno de 20 mil barris por dia.

Segundo a nota, a decisão foi tomada como medida preventiva. A ANP informou que recebeu do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) um pedido de interdição emergencial e apuração das denúncias de situações de risco na plataforma. A denúncia apontava problemas associados com a integridade mecânica da unidade.

No dia seguinte à denúncia, a ANP informou que enviou especialista à plataforma com o objetivo de averiguar os fatos apresentados. "Após análise preliminar, a ANP decidiu dar andamento ao procedimento de fiscalização". A ANP também informou que por prevenção tem intensificado suas atividades e realiza anualmente 80 ações de fiscalização exclusivamente para verificar as condições de segurança operacional a bordo das plataformas. No campo de Marlim, as ações de fiscalização da ANP resultaram na constatação de pendências, que vêm sendo corrigidas pela Petrobras.