Tamanho do texto

Empresa tenta ganhar terreno no segmento de servidores de baixo consumo de energia

A Advanced Micro Devices planeja comprar a SeaMicro, uma empresa novata no Vale do Silício, por US$ 334 milhões, para ganhar presença no segmento de servidores de baixo consumo de energia, uma área de potencial crescimento porque os serviços na Internet estão crescendo e as empresas querem economizar nas contas de luz.

A SeaMicro opera no mercado de microservidores, máquinas de peso relativamente baixo (e portanto pouco consumo de energia) que hospedam serviços de Web, entre eles streaming para múltiplas mídias.

A empresa pretende comercializar os servidores SeaMicro -que diz consumirem 25% da energia e ocuparem 20% do espaço de um servidor típico- e vê potenciais clientes em parceiros como a Hewlett-Packard, Dell e IBM.

"Eles têm a tecnologia. Nós temos os relacionamentos", disse John Fruehe, diretor de marketing de produtos da AMD, por telefone. "Um microservidor consome muito pouca energia. É exatamente a máquina que o mercado de computação em nuvem vem procurando", acrescentando.

A rápida adoção da computação em nuvem -dados e aplicativos ficam armazenados em computadores remotos e são acessados via Internet- está estimulando a demanda mundial por servidores.

A SeaMicro anunciou no mês passado seus primeiros servidores acionados por chips da Intel, a grande rival da AMD. Não está claro como a aquisição proposta afetaria essa parceria.

Os especialistas dizem que os microservidores podem se tornar populares por meio de companhias menores -tais como empresas iniciantes de Internet, que querem economizar capital e não precisam da potência bruta de processamento oferecida pelos servidores atuais. Entre os clientes da SeaMicro estão Mozilla, Skype e eHarmony.

Fruehe, no entanto, diz que os servidores da companhia podem ser expandidos para atender a necessidades mais pesadas.

A AMD pagará a aquisição com US$ 281 milhões das reservas de caixa; a SeaMicro conta com investimentos da Khosla Ventures, Draper Fisher Jurvetson e Crosslink Capital, entre outras. A transação deve ser concluída em 30 dias e não afetará as projeções da empresa para 2012, mas influenciará o faturamento em futuros exercícios.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.