Tamanho do texto

Empresa previa investir US$ 600 milhões em fábrica com capacidade de produção de 100 mil carros

Em seu primeiro comunicado oficial após a implantação do novo regime automotivo no Brasil, a montadora chinesa JAC Motors disse que o aumento tributário para carros com menos de 65% de conteúdo local afeta os planos de investimento no país.

Modelo J3, da JAC: empresa revê investimentos no País
Divulgação
Modelo J3, da JAC: empresa revê investimentos no País

Segundo a empresa, a nova legislação não permite a continuidade dos planos anunciados para o Brasil, o que inclui investimentos de US$ 600 milhões em uma fábrica com capacidade de produção de 100 mil carros.

"Com essa mudança radical na lei, infelizmente nossos planos mudaram", diz a JAC, acrescentando que o novo regime "proíbe" qualquer nova marca de produzir veículos no país, ao exigir pelo menos 65% de conteúdo local desde o início das operações - o que importadores consideram ser inviável.

O anúncio foi feito após a visita do empresário Sérgio Habib, sócio no projeto, que voltou do país asiático nesta sexta-feira. No texto - assinado por She Cairong, gerente-geral da JAC International -, a montadora defende mudanças no regime e lembra que já investiu no Brasil US$ 200 milhões no desenvolvimento da rede de revendas, marketing e custos pré-operacionais.

"A JAC Motors espera que o governo brasileiro, que acata as regras da OMC (Organização Mundial do Comércio) e é um importante parceiro da economia chinesa, possa reconsiderar essa decisão", diz. A montadora acrescenta que, após a visita de Habib, está muito otimista de que haverá entendimento e compreensão do governo brasileiro. "Queremos investir no Brasil e esperamos a oportunidade", conclui o texto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.