Tamanho do texto

Empresa vem planejando a abertura de capital para este ano ou para o próximo

Uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da Chrysler parece ter menos probabilidade de ocorrer no curto prazo após um acordo da Fiat com Washington dar à empresa a opção de compra de todos os ativos da montadora norte-americana, afirmaram analistas nesta sexta-feira.

A tentativa do presidente-executivo da Fiat, Sergio Marchionne, de adquirir o controle da Chrysler e um plano de opção de compra do restante dos ativos da empresa significa que a montadora italiana pode voltar atrás quanto aos planos de listar a Chrysler, disseram analistas.

Dados desanimadores sobre ações do setor automotivo este ano também podem fazer com que o IPO não aconteça tão cedo. A Chrysler vem planejando um IPO para este ano ou para o próximo.

Marchionne afirmou que há mais chance de ocorrer um IPO em 2012 do que neste ano, pois a montadora precisa ter um registro maior de seu desempenho.

"É difícil imaginar que a Fiat faria um IPO no curto prazo. Como ela está no momento, não há necessidade de um IPO", disse Alessandro Frigerio, gestor de fundos no RMPJ Sgr, em Milão.

O Tesouro norte-americano concordou na quinta-feira em vender sua fatia restante de 6% na Chrysler por US$ 500 milhões, elevando a participação da Fiat para 52% quanto o acordo for concluído.

A Fiat também pagará US$ 75 milhões pelo direito de opção de compra do Tesouro de todos os papéis da Chrysler detidos pelo sindicato United Auto Workers, (Veba), que detém 45,7% da Chrysler e a Fiat já possui uma opção de compra de 40% das ações do Veba.

O acordo entre Fiat e Tesouro ocorreu antes da visita do presidente Barack Obama a uma fábrica da Chrysler em Toledo, Ohio, na sexta-feira, onde Obama dará as direções para o regate do setor automobilístico pelo governo.

Um analista afirmou que o Tesouro está pouco propenso a comprar a participação do Veba. O sindicato agora tem a Fiat como um possível comprador, o que ajuda o Veba a garantir o dinheiro necessário para cumprir seus compromissos, disse.

"A questão quanto ao Veba é: ele quer vender para a Fiat ou para o mercado? Esse pode não ser o melhor momento de ir para o mercado" em um IPO, disse.

"Eu diria que a possibilidade de um IPO diminui", afirmou.

De acordo com Marchionne, um IPO ainda é a maneira mais fácil de monetizar o VEBA. Ele disse que uma oferta de ações ainda é possível caso a própria Fiat compre seus ativos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.