Tamanho do texto

Este é o terceiro resultado negativo consecutivo no ano, o que representa um acumulado de 3,4% de perda na indústria

Setor caiu 9,0% na comparação com agosto de 2014
Wilson Dias/ABr
Setor caiu 9,0% na comparação com agosto de 2014

A produção industrial brasileira recuou 1,2% em agosto na comparação com julho deste ano. Segundo dados divulgados nesta sexta-feira (2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), este é o terceiro resultado negativo consecutivo, representando um acumulado de 3,4% de perda na indústria. O setor acumulou perda de 6,9% nos oito meses de 2015.

A principal queda foi a do setor de veículos automotores, reboques e carrocerias, que recuou 9,4%. O segundo maior recuo foi nas categorias de artefatos de couro, artigos para viagem e calçados. Os segmentos do petróleo e biocombustíveis e de produtos de metal, apresentaram recuos de -1,6% e -3,0%.

Na comparação com agosto de 2014, o setor apresentou queda 9%, com os resultados negativos alcançando as quatro grandes categorias econômicas, 23 dos 26 ramos, 63 dos 79 grupos e 71,9% dos 805 produtos pesquisados.  A maior influência negativa partiu do segmento de veículos automotores, reboques e carrocerias (- 26,2%). Outros indicadores negativos na comparação com 2014 partiram de categorias como produtos eletrônicos e ópticos (-30,3%) e produtos têxteis (-20,7%).

Nove setores apresentaram crescimento

Apesar desse cenário, a produção de nove ramos registrou aumento, sendo o desempenho de maior importância o de produtos alimentícios, que avançou 2,4%, recuperando, dessa forma, parte da queda de 5,4% verificada em julho.  O segundo maior impacto positivo foi apresentado pelo segmento de produtos de madeira (5,1%), o que devolveu parte da queda de 7,3% que obteve em julho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.