Tamanho do texto

Índice ficou em 48,3 pontos, mas queda foi menor do que o mês anterior

Utilização da capacidade instalada ficou 1,7 ponto acima do mês anterior
AP
Utilização da capacidade instalada ficou 1,7 ponto acima do mês anterior

A produção industrial continuou em baixa em fevereiro, mas o recuo foi menos intenso do que em janeiro deste ano e fevereiro do ano passado. O indicador da produção ficou em 48,3 pontos, abaixo da linha divisória de 50 pontos, que indica queda.

No primeiro mês de 2014, o índice havia atingido 47,4 pontos e, em fevereiro do ano passado, 46,1 pontos. As informações fazem parte da pesquisa Sondagem Industrial, divulgada nesta quarta-feira (26) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Leia também: Indústria brasileira inicia 2014 com mais gás

Com a queda menos acentuada da produção, a utilização da capacidade instalada aproximou-se da usual. O indicador ficou em 44,7 pontos, 1,7 ponto acima do índice registrado em janeiro.

Já o indicador dos estoques efetivos manteve-se estável, atingindo 49,9 pontos, bem próximo de 50. Isso significa que o volume de produtos estocados está perto do nível desejado pela indústria.

A sondagem mostrou ainda que o número de funcionários ficou em 48,9 pontos em fevereiro. Embora o dado indique que o emprego industrial continua em queda, o resultado é melhor do que o de janeiro: 48 pontos.

Empresários continuam otimistas

Quanto às expectativas para os próximos seis meses, os empresários mantêm-se otimistas. Enquanto os demais indicadores referem-se ao desempenho da indústria em fevereiro, os índices de expectativas valem para março. 

A estimativa de demanda ficou em 57,9 pontos, número idêntico ao do mês anterior. Os índices que medem as expectativas sobre volume de exportações e compra de matérias-primas também ficaram estáveis, atingindo, respectivamente, 53,1 e 55,6 pontos.

Houve, no entanto, aumento da expectativa sobre contratação de empregados em relação a fevereiro, de 51,1 pontos para 51,8 pontos.

A pesquisa Sondagem Industrial foi realizada no período de 6 a 18 de março Foram ouvidas 2.085 empresas. O levantamento trabalha com uma escala de 0 a 100 para cada indicador, na qual números acima de 50 indicam avaliações positivas e, abaixo, negativas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.