Tamanho do texto

O PMI preliminar do HSBC/Markit caiu para 47,7 neste mês ante a leitura final de junho de 48,2, no terceiro mês seguido abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração

Reuters

A atividade no vasto setor industrial da China desacelerou em julho para uma mínima em 11 meses, em meio à queda das novas encomendas e da piora do mercado de trabalho, mostrou nesta quarta-feira o Índice de Gerentes Compras (PMI, na sigla em inglês) preliminar.

PMI preliminar do HSBC/Markit caiu para 47,7 em julho
NYT
PMI preliminar do HSBC/Markit caiu para 47,7 em julho

O PMI preliminar do HSBC/Markit caiu para 47,7 neste mês ante a leitura final de junho de 48,2, no terceiro mês seguido abaixo da marca de 50 que separa crescimento de contração. Esse foi o nível mais fraco desde agosto de 2012.

"A leitura mais baixa do PMI preliminar do HSBC sugere uma desaceleração contínua nos setores industriais devido a novas encomendas mais fracas e redução mais rápida dos estoques", disse o economista-chefe do HSBC Hongbin Qu. "Isso acrescenta mais pressão ao mercado de trabalho."

Veja também: Reforma na China pode ser escudo contra calotes

O subíndice que mede o emprego caiu para 47,3 em julho, o mais fraco desde março de 2009. Ele havia ficado em 47,6 em junho e está abaixo de 50 por quatro meses seguidos.

Já o subíndice de novas encomendas caiu para o menor nível em 11 meses, e permaneceu abaixo de 50 pelo terceiro mês seguido. A produção chegou à mínima em 10 meses e permaneceu em contração pelo segundo mês.

"Como Pequim tem recentemente destacado a garantia do nível mínimo de crescimento necessário para garantir o emprego estável, o PMI preliminar reforça a necessidade de adotar medidas adicionais de ajuste para estabilizar o crescimento", disse Qu.