Tamanho do texto

Abimaq vai preparar projeto para melhorar competitividade das empresas no País

Brasil Econômico

Mesmo com aumento nas compras de máquinas no mercado interno, a indústria vem perdendo em faturamento neste ano. De janeiro a maio, as fabricantes de máquinas e equipamentos instaladas no país apuraram receita de R$ 47,36 bilhões, valor 7,6% inferior ao obtido no mesmo período do ano passado. Essa discrepância pode ser explicada pelo aumento das importações no período, que chegaram a US$ 13,21 bilhões, 1,5% maior que nos cinco meses de 2012.

O setor que mais encomendou equipamentos no exterior foi o de máquinas para petróleo e energias renováveis
Divulgação
O setor que mais encomendou equipamentos no exterior foi o de máquinas para petróleo e energias renováveis

Segundo dados divulgados pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), as fabricantes de máquinas nacionais venderam 20% de tudo o que foi comprado pelas empresas no país. Já as importações corresponderam a 64% desse total. Os 16% restantes foram importações de peças.

O setor que mais encomendou equipamentos no exterior foi o de máquinas para petróleo e energias renováveis. De janeiro a maio, essas empresas foram responsáveis por 37,9% de todas as importações do setor de máquinas.

Outro dado que mostra a baixa competitividade brasileirado setor é o nível de utilização da capacidade instalada. Até maio esse índice foi de 72,6% - o pior nível desde a crise econômica de 2008.

Além disso, a carteira de pedidos continua em queda. De janeiro a maio, as encomendas equivalem a 2,9 meses de produção. No ano passado, no mesmo período, os pedidos respondiam por 3,5 meses de atividade fabril. 

As exportações de janeiro a maio também apresentaram queda de 16,4% em relação ao mesmo período de 2012, chegando a US$ 4,44 bilhões. Com isso o déficit na balança comercial do setor chegou a US$ 8,77 bilhões, aumento de 13,7% no comparativo com janeiro a maio de 2012.

O maior mercado para os produtos brasileiros continua sendo a América Latina. Para a região o Brasil exportou US$ 1,9 bilhão. Os Estados Unidos, com a recuperação econômica, vem ganhando força e ultrapassaram a Europa, como o segundo maior destino das máquinas e equipamentos produzidos no mercado brasileiro. Até maio, os embarques para as empresas americanas somaram US$ 891 milhões.

"Estamos no pior índice de utilização da capacidade instalada no país. As empresas estão comprando, mas estão importando máquinas e isso não significa investimentos no setor. Por isso, em defesa da não industrialização do setor de máquinas é que vamos enviar ao governo um pedido para que se faça um programa aos moldes do Inovar Auto, seria o Inovar Máquinas", disse o presidente da Abimaq, Luiz Aubert Neto.

O dirigente não deu mais detalhes sobre a proposta, mas adiantou que quer mais incentivos para atrair mais investimentos para o setor no Brasil. O Inovar Auto prega a compra de autopeças nacionais na produção dos veículos aqui. Com isso, vai forçar as montadoras a comprar no país componentes antes importados sob a pena de pagarem 30 pontos percentuais a mais no Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.