Tamanho do texto

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, queda do índice foi de 1,3%

Agência Estado

CNI diz que tendência de queda da confiança mostra as dificuldades de competitividade da indústria
AE
CNI diz que tendência de queda da confiança mostra as dificuldades de competitividade da indústria

A confiança dos empresários da indústria continua caindo, segundo pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), nesta quarta-feira (19). O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) referente ao mês de junho recuou 0,7 ponto na comparação com o mês anterior e ficou em 54,8 pontos. O resultado é o pior desde agosto de 2012. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, a queda do índice foi ainda maior, de 1,3 ponto.

Esse movimento, segundo a CNI, aponta a tendência de "queda moderada" que começou em março deste ano. O índice, que aponta a percepção dos industriais sobre as condições atuais e para os próximos seis meses, varia de zero a cem. Os valores acima de 50 pontos indicam empresários confiantes.

Veja mais: Índice de Confiança da Indústria cai 1,2% em junho, apura FGV

No relatório da pesquisa, a CNI coloca que "a tendência de queda da confiança do empresário industrial deixa claro as dificuldades de competitividade que a indústria enfrenta no ambiente de negócios e põe em dúvida uma recuperação mais consistente da atividade industrial em 2013".

A indústria de extração foi o único segmento cujo índice aumentou na comparação com maio: passou de 56,4 pontos para 57,5 pontos. Os setores de construção e transformação registraram queda da confiança em junho. O primeiro passou de 55,4 para 55,2 pontos. O segundo, de 54,9 para 54,1 pontos.

A avaliação dos industriais sobre as condições atuais diminuiu de 47,5 pontos para 46,8 pontos. Em relação às expectativas dos empresários para os próximos seis meses, o indicador também caiu, de 59,6 para 58,9 pontos.

Entre as regiões, a Norte foi a única onde o índice cresceu, de 55,1 para 57,2 pontos. Segundo a Confederação, o levantamento foi feito com 2.396 empresas entre 3 e 14 de junho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.