Tamanho do texto

Empresas lançam novos serviços, como motorista que busca segurado na balada por conta da a Lei Seca

Brasil Econômico

Empresas de seguros especializadas em automóveis experimentaram uma elevação nos negócios de 25,3% de janeiro a abril deste ano, em relação ao mesmo período de 2012
Divulgação
Empresas de seguros especializadas em automóveis experimentaram uma elevação nos negócios de 25,3% de janeiro a abril deste ano, em relação ao mesmo período de 2012

O mercado de veículos em alta não impacta somente as decisões das montadoras instaladas no país. No rastro desse crescimento, as empresas de seguros especializadas em automóveis experimentaram uma elevação nos negócios de 25,3% de janeiro a abril deste ano, em relação ao mesmo período de 2012. A arrecadação de prêmios chegou a R$ 9,1 bilhões.

E para concorrer neste mercado maduro e cada vez mais competitivo, as seguradoras têm que se renovar. A Porto Seguro, por exemplo, que detém 14,5% de participação no mercado, oferece ao seu segurado benefícios que vão além dos serviços relativos ao automóvel.

Veja também: Venda de carros aumenta 9,5% em um ano, aponta Carcon

“Temos um conceito de proteção total. E na apólice já estão inclusos serviços residenciais, como assistência à linha branca, ou de help desk. São benefícios que fidelizam o nosso cliente”, disse o diretor de seguros para automóveis da Porto Seguro, Marcelo Sebastião. A empresa, no primeiro quadrimestre, apresentou crescimento de 17,5% na arrecadação de prêmios, chegando a R$ 1,2 bilhão ante R$ 1 bilhão obtido no ano anterior.

Segundo o diretor executivo da Federação Nacional das Empresas de Seguro (Fenseg), Neival Freitas, para se manter nesse mercado, as empresas têm que inovar.

“Há empresas, por exemplo, que oferecem serviços de motoristas para os segurados em razão da Lei Seca. São benefícios que estão além do seguro do automóvel”.

Hoje, 17 milhões de veículos são segurados no país, o que representa cerca de 25% da frota circulante. No ano passado, o mercado apurou R$ 7,25 bilhões em arrecadação de prêmios, e para este ano a perspectiva é de que os negócios alcancem R$ 9,1 bilhões.

“No segmento de automóveis, a produção de veículos no Brasil cresceu 17% acima do mesmo período no ano passado, o que é muito bom para o mercado de seguros. Na SulAmérica, queremos manter o ritmo de crescimento, sempre alinhado a nossa política de subscrição e produtos diferenciados que atendam a necessidade do cliente”, disse o diretor de automóveis da SulAmérica, Eduardo Dal Ri. A empresa tem 10% do mercado e chegou a R$ 678,3 milhões em prêmios este ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.