Tamanho do texto

Número de horas trabalhadas aumentou 2,9% em abril na comparação com o mês de março

Depois de um início de ano fraco, a atividade industrial registrou o maior crescimento em três anos, informou nesta terça-feira (11) a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

De acordo com os Indicadores Industriais, pesquisa mensal sobre o desempenho do setor, o número de horas trabalhadas (que mede a produção industrial) aumentou 2,9% em abril na comparação com março. A expansão é a maior de um mês para o outro desde março de 2010, quando o indicador tinha avançado 3%.

-Veja também: produção industrial no Brasil surpreende e sobe 1,8% em abril frente a março

Os dados são desassonalizados e, portanto, desconsideram as oscilações típicas de determinada época do ano. Segundo a CNI, houve crescimento das horas trabalhadas em 17 dos 21 setores da indústria pesquisados. Em março, apenas seis segmentos tinham registrado aumento no indicador.

A expansão é a maior de um mês para o outro desde março de 2010, quando o indicador tinha avançado 3%
Getty Images
A expansão é a maior de um mês para o outro desde março de 2010, quando o indicador tinha avançado 3%

O desempenho positivo também refletiu-se em outros indicadores divulgados pela CNI. O faturamento real —descontada a inflação— da indústria aumentou 5% em abril em relação a março.

Essa expansão recuperou o nível registrado em agosto do ano passado, quando o crescimento também tinha ficado em 5%. Nos quatro primeiros meses do ano, o faturamento real aumentou 6,8% na comparação com o primeiro quadrimestre de 2012.

O emprego industrial cresceu 0,7%, sem retração pelo oitavo mês seguido. A massa salarial da indústria aumentou 0,4%, com alta pelo terceiro mês consecutivo. A utilização da capacidade instalada atingiu 83,3% em abril. De acordo com a CNI, é o maior nível desde junho de 2011.

Mais cedo, o presidente da CNI, Robson Andrade, disse que a recuperação, apesar de lenta, é consistente com a retomada do crescimento da economia.

Ele, no entanto, ressaltou que ainda é cedo para avaliar se a indústria continuará a expandir-se na mesma intensidade nos próximos meses. Andrade participou de reunião com o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.