Tamanho do texto

Multinacional retira produtos adulterados das prateleiras da Espanha e da Itália

O JBS é o maior produtor de carne do mundo
AP
O JBS é o maior produtor de carne do mundo

A empresa suíça Nestlé anunciou nesta segunda-feira (18) ter encontrado traços de DNA de cavalo em dois produtos da marca vendidos na Itália e na Espanha que usam carne do frigorífico brasileiro JBS.

- Acordo entre JBS e Bertin poderá sofrer restrições, dizem especialistas

A gigante dos alimentos diz não haver risco à saúde dos consumidores, mas um erro na etiquetagem indica falha no padrão de qualidade. A origem do problema estaria na empresa alemã H.J. Schypke, que fornece a carne à JBS Toledo N.V., uma subsidiária do grupo brasileiro na Europa. 

Como precaução, foram retirados das prateleiras dois tipos de massa congelada, Ravioli e Tortellini. Além destas duas variedades, a multinacional também barrou a venda de uma de suas lasanhas congeladas, a Lasagnes à la Bolognaise Gourmandes, vendidas no setor corporativo da França e de Portugal. A fabricante diz que o produto será substituído por similar "com 100% de carne bovina".

"Não se trata de um problema de segurança alimentar, mas sim de etiquetagem não correspondente ao produto, o que significa que este não cumpre os elevados padrões que os consumidores esperam", disse a empresa. O comunicado também explica que testes indicarem presença de carne de cavalo numa porcentagem acima do 1% permitido pela Agência de Segurança Alimentar britânica. Isso indicaria “adulteração ou grave negligência”, diz o comunicado.

JBS se defende

Por meio de nota à imprensa, a JBS informou que a Schypke não pertence ao grupo. O escritório da companhia na Bélgica, a JBS Toledo, foi notificado nesta segunda-feira (18) sobre a comercialização da carne de cavalo fornecida pela empresa alemã.

A empresa informa ainda seus contratos com fornecedores são assinados em comum acordo com seus clientes. Em outras palavras, a Nestlé teria concordado com a Schypke como fornecedora.

"Os clientes da JBS Toledo participaram ativamente desse processo, auditando e aprovando os fornecedores europeus selecionados. Desde o início do fornecimento, todo o processo operacional e logístico foi conduzido pelo produtor alemão, que enviava o produto diretamente ao cliente final", informou o comunicado da JBS.

A JBS Toledo optou por suspender todos os contratos com a Schype e deixará de vender produtos europeus até que o caso seja apurado. A empresa brasileira informou ainda que nenhum contrato sofreu alteração ou foi cancelado depois do escândalo revelado pela Nestlé.