Tamanho do texto

Usina termelétrica AES Uruguaiana estava paralisada desde 2009 diante da suspensão do fornecimento de gás natural pela argentina YPF

Reuters

O Ministério de Minas e Energia publicou no Diário Oficial da União desta segunda-feira reconhecimento para que a usina termelétrica AES Uruguaiana, no Rio de Grande do Sul, volte a operar utilizando combustível transportado por gasodutos da Argentina.

A usina, paralisada desde 2009 diante da suspensão do fornecimento de gás natural pela argentina YPF, recebeu renovação da licença de operação do Ibama no início de outubro .

Segundo a portaria assinada pelo ministro Edison Lobão, o ministério "reconhece a necessidade de geração de energia elétrica, de forma excepcional e temporária, na Central Geradora Termelétrica UTE Uruguaiana", no Rio Grande do Sul.

LeiaPetrobras nega risco de desabastecimento de gás

A geração de eletricidade pela usina "será realizada por meio de suprimento de combustível transportado na malha de gasodutos da Argentina até a fronteira com o Brasil e a partir deste ponto até a UTE Uruguaiana", acrescenta a portaria, sem informar quando a usina poderá voltar a operar.

Procurada, a assessoria de imprensa da AES Uruguaiana informou que usina está pronta para ser religada, com todas as manutenções realizadas. A expectativa de retomada é janeiro.

"Uma vez confirmado o suprimento de gás natural, a Termoelétrica de Uruguaiana estará apta a iniciar geração de 164 MW (ciclo aberto) em meados de janeiro 2013 e, posteriormente, atingir 494 MW (ciclo combinado) em meados de março de 2013", informou a empresa em comunicado.

MaisSetor de petróleo e gás desconhece a palavra crise

A AES Uruguaiana iniciou as atividades em 2000, na cidade de mesmo nome, na fronteira do Brasil com a Argentina e o Uruguai. A usina tem capacidade instalada de 630 megawatts (MW).

Representantes do ministério não estavam imediatamente disponíveis para comentar o assunto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.