Tamanho do texto

Companhia brasileira descartou planos de vender a totalidade de sua participação no Golfo do México para um único parceiro, disseram fontes

Reuters

A Petrobras está tendo problemas para vender mais de US$ 4 bilhões em ativos offshore de exploração e produção de petróleo no Golfo do México, disseram fontes próximas à questão.

A companhia brasileira descartou planos de vender a totalidade de sua participação no Golfo do México para um único parceiro e começou a procurar parceiros individuais e pacotes de blocos de petróleo, disseram as fontes.

Algumas pessoas disseram que a nova estratégia poderá abrir um universo de potenciais compradores.

Separadamente, um executivo da Petrobras confirmou que a empresa tem tido grande dificuldade em vender os ativos no Golfo, mas se recusou a falar.

As fontes e o executivo falaram em condição de anonimato, pois o processo ainda é privado.

A Petrobras lançou a medida como parte de um programa de venda de ativos para apoiar seu ambicioso plano de expansão e com o objetivo de o Brasil se tornar um dos mais importantes produtores de petróleo do mundo até 2020.

A empresa espera vender US$ 14,8 bilhões em ativos este ano, depois que os crescentes custos e o aumento das importações de combustíveis afetam a capacidade da Petrobras de custear o plano de expansão de 5 anos de US$ 237 bilhões, maior programa de investimentos do mundo. Ela registrou sua primeira perda trimestral em 13 anos no segundo trimestre.

Em maio, o diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, classificou os ativos do Golfo do México como o pedaço "provavelmente mais importante" do programa da vendas da companhia.

A Petrobras tem cerca de 190 blocos exploratórios sob concessão do governo dos EUA no Golfo do México. No meio da década passada, foi o maior comprador individual de blocos em águas profundas na região.

(Por Michael Erman e Leila Coimbra - Reportagem adicional de Jeb Blount no Rio de Janeiro)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.