Tamanho do texto

Planos agora incluem 80 revendas em 2014, 90 no ano seguinte e 120 pontos de venda apenas em 2016

A acelerada da JAC Motors no Brasil começará apenas no final de 2014, quando a fábrica estiver em plena operação. Os planos da montadora foram adiados em função do decreto que estipulou o aumento de 30 pontos percentuais do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) em outubro de 2011.

“Não vamos importar além da cota. Vamos vender nos próximos dois anos cerca de 25 mil carros. Isso não vai nos obrigar a ter uma rede maior. As 70 casas que hoje temos em todo o Brasil darão conta do volume”, disse o presidente da companhia no país, Sergio Habib.

O novo plano de concessionárias da JAC agora estipula que em 2014 a marca terá 80 lojas, em 2015, 90 revendas e em 2016, 120 casas. “Atrasamos em dois anos o nosso planejamento, isso em função das novas regras brasileiras. Em meados do ano que vem que vamos começar a nomear os novos grupos. Vamos crescer devagar”, afirmou o executivo.

LeiaJAC Motors Brasil vira consultora para a montadora na China

Habib aposta na aceitação do público para o carro que será fabricado no Brasil. Segundo ele, será uma família que vai substituir o J3, o modelo que deu origem a JAC no país. “Vai ser um carro para o brasileiro. Teremos um hatch, um sedã e um cross. Com isso, no primeiro ano da fábrica, 2015, vamos conseguir mudar o mix de vendas aqui no mercado. Cerca de 50% de nosso volume deve ser do modelo brasileiro", disse o executivo.

Enquanto o novo carro não chega, a JAC joga todas as suas fichas no novo hatch que lança no mercado brasileiro. O pequenino J2 vai brigar de perto com os recém-lançados, Hyundai HB20, o Toyota Ethios e o Nissan March. Em preço, o modelo é realmente atrativo. Ele será vendido a R$ 30,99 mil.

MaisCom antecipação do consumo, vendas de automóveis devem cair em 2013

“No ano que vem, a expectativa é que sejam comercializados entre 8 mil a 10 mil modelos do J2”, informou o Habib. É um volume expressivo já que a marca espera vender nos próximos anos 25 mil carros aqui no Brasil. “O modelo será importado da China e para ser lançado no mercado brasileiro, fizemos cerca de 360 alterações. Queríamos um carro mais sofisticado, mas ao mesmo tempo com custo benefício interessante.”

A fábrica

A fábrica da JAC em Camaçari, entra em operação em primeiro de outubro de 2014. A expectativa é que no primeiro ano de operação a fábrica produza entre 20 mil a 30 mil unidades. Segundo o diretor de fábrica da JAC, Tarcísio Telles, disse que em quatro anos a empresa consegue atingir a capacidade de produção, que é de 100 mil carros por ano.

“Tudo vai depender do mercado. Esse volume podemos atingir bem antes. Para o início da fábrica, vamos trabalhar em um turno de produção e a nossa velocidade será de 20 unidades por hora”, disse Telles.

TambémNovo regime automotivo faz Kia repensar planos para o Brasil

A produtividade na fábrica da JAC, dessa forma, será bem menor que a da recém-inaugurada unidade da Hyundai. Em Piracicaba, os coreanos montam 34 carros por hora em cada turno de serviço. Lá a capacidade instalada é de 150 mil veículos por ano. Além disso, a fábrica conta com um nível alto de automação, são cerca de 300 robôs trabalhando em toda a linha de montagem.

“Na fábrica na Bahia, vamos utilizar o mínimo de automação, por três motivos: o primeiro é que com menos robôs abrimos mais vagas de trabalho, o segundo é que a mão de obra para automação é muito mais sofisticada e, por último, os investimentos seriam maiores caso o uso da automação fosse maior”, disse Telles da JAC.

O que dará velocidade e vai diminuir o custo de produção do carro da JAC é o sistema de produção modular, com os fornecedores instalados ao redor da unidade. O parque vai ter 12 empresas e a montadora vai nomear as empresas parceiras no primeiro semestre de 2013.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.