Tamanho do texto

Savoya vem ao país com 360 carros e perspectiva de prestar serviços aos clientes que já atende em outros lugares do mundo

Uma delegação de executivos americanos interessados em fazer negócios no Brasil desembarcou ontem no país para uma série de reuniões. Ao invés de terem de lutar por um táxi na saída do aeroporto, eles eram aguardados no local por motoristas prontos para levá-los para cada um dos compromissos. Os membros deste grupo foram os primeiros clientes da Savoya Brasil, operação local da Savoya, maior empresa do mundo especializada no transporte de executivos em terra, cujas atividades estrearam por aqui. “A chegada ao país neste momento é porque este é o mercado mais excitante de todo o mundo atualmente”, afirmou, ao BRASIL ECONÔMICO, Robert Dobrient, presidente global da companhia.

A especialidade da Savoya é cuidar do transporte de executivos, evitando que eles tenham de usar táxi ou dirigir em um lugar que não conhecem. Para tornar o serviço mais eficiente, a companhia investe bastante em tecnologia. “Notei que havia potencial de negócio nessa área, quando era cliente desse tipo de empresa e via como os carros eram modernos, mas os processos delas antiquados”, diz Dobrient. Por isso, desde a criação da Savoya, em 2000, a empresa apresenta como maior diferencial o sistema de mensagens no celular, que avisa o executivo e os organizadores da viagem de cada etapa do processo — desde a confirmação da reserva até o momento em que o cliente entra no carro. Ao todo, este sistema foi resultado de um investimento de US$ 18 milhões.

Os planos da Savoya para o Brasil estão ligados ao número cada vez maior de executivos estrangeiros que vêm ao país fazer negócios. “A princípio, boa parte de nossos clientes será empresas que já utilizam nossos serviços em outros países”, afirma Oskar Kedor, diretor da operação local. Ao redor do mundo, a empresa atende mais de 2 mil clientes, principalmente grandes empresas e companhias de aviação executiva.

Antes de montar a operação local, a Savoya indicava para seus clientes no Brasil os serviços da locadora Mobility, que se mantém como parceira na nova etapa da operação. “A certeza de que tínhamos um bom parceiro local foi um dos elementos decisivos para resolvermos dar esse passo”, diz Dobrient. A princípio, as equipes comerciais da Mobility e da Savoya no país serão compartilhadas. “A tendência é que isso mude em pouco tempo”, afirma Kedor.

Copa do Mundo

Para atender a demanda no país, a Savoya inicia os trabalhos no Brasil com uma frota de 360 carros, operados por 22 fornecedores diferentes. “Não temos frota própria. Nosso trabalho é selecionar os melhores operadores e, com a nossa tecnologia, atender às necessidades dos clientes”, diz Kedor. A princípio, a Savoya Brasil irá operar em 14 cidades (as 12 cidades-sede da Copa do Mundo, além de Campinas e Campo Grande). “Não estamos indo atrás da bola, mas atrás dos negócios que existem nessas regiões. Essas cidades serão sede do evento justamente porque têm uma economia dinâmica”, afirma o executivo brasileiro.

Até o final de 2013, a empresa espera que a frota atinja mais de 600 veículos, operados por cerca de 40 parceiros, em 25 cidades. Com isso, o faturamento do primeiro ano de operação deve atingir US$ 3 milhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.