Tamanho do texto

Com 228 metros de comprimento e capacidade para 650 mil barris, petroleiro tem capacidade de para transportar 90,2 milhões de litros

A Transpetro e o Estaleiro Mauá, em Niterói (RJ), lançaram ao mar nesta terça-feira o navio Anita Garibaldi, primeiro de uma série de quatro petroleiros do tipo panamax que serão batizados em homenagem a mulheres que ajudaram a construir a História do Brasil. O navio foi transferido ao cais do estaleiro, onde passará por acabamentos finais, antes da entrega à Companhia para início das operações.

Com 228 metros de comprimento e capacidade para 650 mil barris, os navios panamax serão usados para o transporte de petróleo e derivados escuros. O navio Anita Garibaldi é a sétima embarcação do Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef) lançada ao mar.


“Em um tempo em que as mulheres ocupam posições de destaque no cenário brasileiro, como a primeira Presidenta do nosso País, Dilma Rousseff, e a primeira Presidente da Petrobras, Graça Foster, nada mais justo do que homenagear a garra, a força e a luta das nossas mulheres”, disse, em seu discurso, o diretor de Abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza, que representou a Presidente da Companhia no evento.

Três navios do programa - Celso Furtado, João Cândido e Sérgio Buarque de Holanda – já iniciaram as operações. Outros três navios – Rômulo Almeida, José Alencar e Zumbi dos Palmares – estão em fase final de construção. O suezmax Zumbi dos Palmares foi lançado ao mar no último dia 23, no Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Pernambuco.

O navio Anita Garibaldi tem como madrinha Rosa Cristina da Silva Carvalho de Azevedo, técnica de enfermagem e trabalho da Transpetro. Logo após o lançamento da embarcação, o Estaleiro Mauá realizou o batimento de quilha do segundo navio da série de quatro panamax encomendados pelo Promef.

Com encomenda de 49 navios e 100 embarcações hidroviárias, o Promef garantiu as bases para o renascimento da indústria naval brasileira. Três novos estaleiros foram viabilizados pelo programa: Estaleiro Atlântico Sul e STX Promar, em Pernambuco, e Rio Tietê, em São Paulo. Atualmente, o Brasil possui a quarta maior carteira de encomendas de navios do mundo.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.