Tamanho do texto

Fabricante suíça de relógio de luxo confirma que segunda etapa é instalar uma loja no Rio de Janeiro

Relógio TAG Heuer
Getty Images
Relógio TAG Heuer

A TAG Heuer, fabricante suíça de relógio está cada vez mais interessada pelo mercado de luxo brasileiro. O motivo é simples: o segmento no país deve encerrar o ano com um movimento financeiro de R$ 22,56 bilhões, uma alta de 20% se comparado ao ano anterior.

E disposta a seguir neste mesmo ritmo de crescimento é que a companhia suíça inaugurou, na semana passada, sua primeira loja própria no Brasil, localizada em São Paulo, no shopping Cidade Jardim, após trabalhar durante anos por meio de uma parceria feita com a joalheria H Stern. “Essa estratégia vai ajudar a manter o nosso crescimento anual em dois dígitos”, revela Bruno Duchene, diretor da TAG Heuer para a América do Sul que preferiu não abrir os números da companhia.

Porém, o executivo garante que o plano de expansão da TAG só está no início. Nos planos da empresa já está prevista uma nova unidade localizada no Rio de Janeiro. Ainda sem local definido, Duchene dá pistas de que o novo empreendimento seguirá o mesmo perfil de São Paulo sendo alocado em um luxuoso shopping carioca. “Estamos estudando novos projetos no país”, afirmou o executivo.

O diretor para a América do Sul explica que com as lojas próprias, a empresa vai ampliar o portifólio disponível no país, hoje composto apenas por relógios. “Agora teremos a oportunidade de oferecer os mesmos produtos disponíveis nas boutiques do exterior que inclui acessórios como óculos, jaquetas e até celulares (que podem custar quase US$ 7 mil).”

De acordo com o executivo, atualmente a empresa conta com 145 lojas próprias espalhadas pelo mundo.

Com as lojas próprias no Brasil, a TAG Heuer se iguala a suas concorrentes, como a suíça IWC e a italiana Panerai, que também inauguraram unidades próprias no país neste ano. “O Brasil é um dos principais mercados de luxo no mundo e esperamos que ele continue em crescimento”, avalia Duchene.

América Latina

O Brasil está entre os sete principais mercados da companhia, que vai encerrar o ano com 20 novas lojas inauguradas, sendo metade delas na América Latina. “Temos um mercado forte também no México e na Argentina”, destaca Duchene, diretor da TAG Heuer.

Segundo ele, além do Brasil está prevista a entrada da companhia em países como Peru e Colômbia.

Fundada em 1860, a Tag Heuer vem ganhando cada vez mais espaço ao aliar a marca ao esporte. A empresa foi a cronometrista oficial da Fórmula 1, tendo sido patrocinadora do piloto brasileiro Ayrton Senna.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.