Tamanho do texto

Graça Foster cobra distribuidores e nega queda de braço com governo por reajuste de preço

A presidenta da Petrobras Maria das Graças Foster descartou nesta segunda-feira a possibilidade de desabastecimento de combustíveis e alertou que “distribuidoras não podem bobear e têm de manter estoque” diante de um mercado consumidor interno aquecido e com forte demanda. A executiva participa participa nesta segunda-feira de evento organizado pelo Lide - Grupo de Líderes Empresariais, em São Paulo.

Para Graça Foster, os recentes problemas de escassez acontecidos no Amapá foram decorrentes da "ineficiência operacional" de distribuidora local, e não de proplemas com a estatal. "A Petrobras não deixará faltar combustível. Mas precisamos lembrar que temos mais de 150 empresas distribuidoras de combustíveis. Respondemos por BR Distribuidora e por suprimento (pela Petrobras)", afirmou.

A mandatária da Petrobras declarou ainda que não existe uma data precisa para o aumento de combustíveis, previsto para acontecer entre 2012 e 2013. “Hoje o que tem acontecido é uma perda de margem. Mas no refino ela continua muito positiva”, disse. Graça Foster também tratou de colocar panos quentes no debate. "Definitivamente não há uma queda-de-braço entre a Petrobras e seu controlador. O que existe é uma relação de trabalho extremamente técnica", disse.

Em dia de protesto no Rio de Janeiro contra o projeto que reduz a participação de Estados produtores na divisão de royalties do petróleo extraído do pré-sal, Graça Foster preferiu cobrar regras claras de exploração. “Espero que seja resolvido de forma que traga o menor desentendimento possível. Para nós, não faz diferença um modelo ou outro [de distribuição de royalties]. O que faz diferença é que tenhamos um marco regulatório conhecido.”

Produção

Após o tombo na produção em setembro, a Petrobras vê a produção de petróleo em aceleração e que, principalmente na última semana, o resultado foi favorável. "Em novembro, já passamos dos 2 milhões de barris (por dia)", disse Graça Foster. Em outubro, a produção da estatal ficou em 1,940 milhão de barris por dia.

Com esse aumento da produção, a Petrobras mantém a meta para este ano, baseada em resultado estável na comparação com 2011, quando a produção totalizou 2,022 milhões de barris diários de petróleo.

A executiva destacou que unidades que estavam interrompidas já voltaram a operar e que algumas paradas programadas foram cumpridas no cronograma estabelecido. Com isso, o cumprimento da meta para 2012 seria mais viável.

A executiva projeta que, em 2020, o petróleo extraído de grandes profundidades responderá por 47% da atividade da Petrobras.

Etanol

A Petrobras acredita que haverá a volta da mistura de 25% de etanol na gasolina em 2013 e que tal medida ajudará a reduzir as importações de combustíveis fósseis, disse a presidente da petrolífera, Maria das Graças Foster, nesta segunda-feira, em entrevista a jornalistas em São Paulo.

Com Agência Estado e Reuters


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.