Tamanho do texto

O local escolhido é o estado de Pernambuco, onde a Fiat já anunciou uma unidade fabril

A Magneti Marelli vai dar um novo passo em seu plano de crescimento no Brasil. A fabricante italiana de sistemas e componentes para a indústria automotiva, que atualmente possui 11 unidades produtivas no país, vai construir uma fábrica em Pernambuco.

Em rápida passagem pelo país, para acompanhar a Fórmula 1, competição em que atua como principal fornecedor de sistemas, Eugenio Razelli, presidente da companhia, que é subsidiária do Grupo Fiat, informou que a nova unidade será direcionada para o segmento de iluminação automotiva.

“Acreditamos que essa planta será necessária para o crescimento da empresa”, disse o executivo que tem como justificativa a produção mundial que deve atingir 80 milhões de veículos neste ano.

Questionado sobre o valor do investimento, o executivo preferiu não comentar o assunto.

Outro fator decisivo para a escolha do local é o recente movimento de expansão feito pela Fiat, seu principal cliente. A montadora iniciou em setembro deste ano a construção de uma fábrica em Pernambuco, para futura produção de um modelo compacto. A expectativa da Fiat é inaugurar a unidade fabril em 2014.

Segundo Razelli, existe oportunidade de expansão nas atuais fábricas localizadas no Brasil, porém para acompanhar o crescimento do setor, que em 2020 pode atingir produção de 100 milhões de veículos, será necessário crescer no segmento de iluminação.

Com faturamento de € 6 bilhões em 2011, o presidente da Marelli revela que o Brasil colaborou com 20% da receita da companhia. A estimativa da empresa é que as operações brasileiras, que atingiram € 1,2 bilhão no ano passado, passe para € 1,6 bilhão até 2016, quando a companhia deve somar uma receita mundial de € 8 bilhões.

Atualmente, a fabricante italiana possui 11 centros de pesquisa e desenvolvimento, cinco deles estão localizados no Brasil, nos estados de Minas Gerais e São Paulo. Razelli conta que a companhia tem destinado cerca de 10% da receita anual para esta divisão. “Queremos continuar crescendo, principalmente no Brasil, e para atingir receitas maiores precisamos criar mais produtos. O investimento é fundamental para todas as linhas de produto”, argumenta.

Sistema de injeção

A Magneti Marelli anunciou que está desenvolvendo um sistema de injeção direta de combustível para equipar os carros da Fórmula 1, que vai ajudar a reduzir em cerca de 35% o consumo dos motores.

A tecnologia, que deve ser encontrada nos carros da F1 a partir de 2014, tem grande possibilidade de estar presente também nos carros de passeio devido à uma demanda criada pelo Inovar- Auto, programa de governo que estabelece exigências para melhorias da eficiência energética dos motores.

“Vamos fornecer cerca de 7 milhões de injetores na China e provavelmente vamos precisar também trazer essa tecnologia para o Brasil para atender as novas exigências das montadoras”, estima Razelli.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.