Tamanho do texto

Empresa pretende tornar o CO2 em um aliado na luta contra o aquecimento global

Em linha com a filosofia “Ciência por uma vida melhor”, a Bayer Material Science, empresa do Grupo Bayer responsável por produzir polímeros e plásticos de alta tecnologia, anunciou nesta semana que está realizando testes de seu projeto batizado “Produção dos sonhos”, que visa utilizar o gás carbônico como matéria-prima para a fabricação de poliuretano (componente para plásticos e tintas). Com isso, a empresa pretende transformar um dos vilões do meio ambiente em um grande aliado na luta contra o aquecimento global. A iniciativa que está sendo conduzida na planta piloto localizada em Leverkusen, na Alemanha, poderia contribuir para redução em grande escala da presença do gás carbônico na atmosfera.

Segundo pesquisas do Programa Ambiental da Organização das Nações Unidas (ONU), apenas em 2005, 45 milhões de toneladas de CO2 foram emitidas. As projeções apontam que esse número pode chegar a 56 milhões de toneladas até 2020. Além disso, o projeto proporcionará ao dióxido de carbono um status de possível alternativa ao uso do petróleo.

Uma usina que é operada pela empresa de energia alemã RWE, parceira da Bayer, é responsável por disponibilizar o gás carbônico para a companhia. Os testes já estão sendo realizados em escala técnica. O processo é configurado pela transformação do gás carbônico em polióis policarbonato poliéter (PPPs), através do uso de catalisadores desenvolvidos para garantir a conversão com a menor quantidade de energia possível.

O avanço nas pesquisas corresponde ao resultado do trabalho realizado por cientistas da empresa e do Centro Catalítico (CAT) da RWTH Aachen University. Para o projeto, a Bayer destinou investimentos que chegam ao montante de ¤ 9 milhões.

As projeções do grupo sinalizam que a produção industrial deve ser iniciada em 2015, mas a intenção inovadora da iniciativa já vem chamando a atenção. Neste ano, os seus idealizadores receberam o prêmio alemão “365 Landmarks in the Land of Ideas”, que reconhece ações de empresas que combinam sucesso econômico à responsabilidade social e à preservação do meio ambiente.

“São iniciativas como esta que apresentam soluções para os desafios de um mundo cada vez mais focado em práticas ambientalmente sustentáveis e que podem minimizar um dos problemas mais alarmantes que o planeta tem enfrentado nas últimas décadas: o aquecimento global”, afirmou Ulrich Ostertag, presidente da Bayer MaterialScience na América Latina.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.