Tamanho do texto

Mina receberá maior parte dos investimentos, de R$ 4,8 bilhões, em 2013 para iniciar as operações em 2014

A mina de Serra Azul, da MMX, em Minas Gerais será prioridade da companhia no próximo ano. A empresa deverá investir no projeto cerca de R$ 2 bilhões para por a mina em operação. A expectativa é que a extração de minério comece em 2014.

“Este ano, já investimos R$ 400 milhões nesse projeto, que está seguindo o cronograma”, disse o presidente e diretor de relações com investidores, Guilherme Escalhão.

Segundo ele, a companhia aguarda a liberação da linha de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para depois buscar recursos em instituições financeiras internacionais. O valor total do investimento da companhia será de R$ 4,8 bilhões. No início deste mês, o projeto foi enquadrado no BNDES e a liberação de recursos deve ocorrer até julho de 2013.

VejaMMX tem prejuízo líquido de R$100,1 mi no 3º tri

“Vamos em busca de linhas de crédito de instituições europeias e asiáticas. Mas grande parte do projeto será financiado via BNDES”, disse Escalhão.

A mina de Serra Azul terá capacidade de produção de 29 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. A previsão é que a nova planta de beneficiamento esteja em operação em 2014. A usina será a primeira do Brasil com capacidade para beneficiar, em larga escala, itabirito compacto, material rochoso abundante na região. Para o escoamento da produção, a nova planta de beneficiamento de minério de ferro contará com mineroduto de aproximadamente 7 quilômetros de extensão interligando a mina ao terminal ferroviário da MMX Sudeste Mineração, a ser construído ao lado da ferrovia da MRS Logística. O projeto ainda contempla a construção de adutoras e estrutura para transmissão de energia.

TambémBNDES aprovará de crédito R$900 milhões para porto da MMX em Itaguaí

“Os equipamentos já foram comprados e no ano que vem vamos começar as obras civis na mina. Por isso, acredito que 2013 será o ano em que desembolsaremos a maior parte dos investimentos”, afirmou o executivo.

Antes da mina entrar em operação, a MMX conclui as obras do Superporto do Sudeste, em Itaguaí, no Rio de Janeiro. Lá a empresa terá capacidade para movimentar 50 milhões de toneladas por ano. Segundo Escalhão, a companhia já recebeu os equipamentos para o pátio ferroviário, como os viradores de vagão. Além disso, a infraestrutura para a instalação do sistema de correias transportadoras também está em fase de conclusão.

“2013 é o ano de entrada em operação do Porto. Em dois ou três anos, teremos a capacidade instalada com a produção da Mina de Serra Azul, o contrato com a Usiminas e a Mina de Pau de Vinho, que também é da Usiminas. Mas, até a entrada em operação desses projetos haverá janelas que poderão ser preenchidas com contratos de exportação de minério de outras companhias”, comentou o executivo.

LeiaProdução da MMX cai 7% no segundo trimestre

Segundo ele, a Mina de Serra Azul será responsável pela movimentação de 29 milhões de toneladas por ano, a Usiminas 12 milhões e a Mina de Pau Vinho, outros 7 milhões de toneladas de minério.

Para este ano, Escalhão acredita que a companhia vai conseguir atingir as metas de produção de minério de ferro. Segundo ele, no terceiro trimestre a MMX recuperou as perdas apuradas nos trimestres anteriores. A produção da companhia foi de foi de aproximadamente 2,2 milhões de toneladas de minério de ferro, quantidade 13% mais alta na comparação com o mesmo período do ano passado. A produção do Sistema Sudeste (Minas) foi de 1,7 milhão de toneladas, recorde da MMX.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.