Tamanho do texto

No Brasil desde 1998, a montadora americana montava seus veículos em fábrica compartilhada com a brasileira em Caxias

Depois de 14 anos produzindo no país para o mercado de exportação em conjunto com a brasileira Agrale, a americana International Navistar vai, finalmente, fincar estacas no Brasil. A fabricante de caminhões pesados e semipesados vai começar a produzir na cidade de Canoas, no Rio Grande do Sul. Segundo comunicado da companhia, essa operação está em curso e a Agrale “continuará a dar suporte à Navistar nesta transição para que o processo aconteça de forma, absolutamente, tranquila e com total aproveitamento da mão de obra”.

A empresa, no entanto, não informou como será a parceria com a brasileira a partir do momento que a produção for separada. Desde 1998, a companhia americana tem sua produção compartilhada na unidade da Agrale, em Caxias do Sul. Há uma linha dedicada aos caminhões pesados e semipesados da Navistar e, nesse tempo, foram montados no país cerca de 12 mil unidades.

A International Navistar também não informou o tamanho da nova fábrica no país e o investimento para o empreendimento. Entretanto, fontes do mercado estimam que o investimento gire em torno de US$ 200 milhões. Por lá, a montadora irá produzir o novo caminhão para o mercado brasileiro, o AeroStar.

E quem vai comandar a unidade de caminhões no país será Guilherme Ebeling. Ele será o presidente da operação International Caminhões e responderá, diretamente, ao presidente e CEO da Navistar South America, Waldey Sanchez.

Além da nova fábrica, Ebeling vai inaugurar esta semana o Centro de testes da Navistar. O investimento inicial para viabilizar o projeto foi de U$ 800 mil e, neste ano, mais U$ 200 mil foram destinados para a construção, aquisição e instalação de equipamentos no centro de teste. Nos próximos cinco anos, a empresa prevê investir mais U$ 1 milhão no local.

Ônibus

A operação de ônibus já estava resolvida no país. Em julho, a Navistar havia anunciado a associação com a Neobus para a produção integral de ônibus — produzirão, numa mesma linha, os chassis e a carroceria dos veículos. No Brasil, essas duas partes são fabricadas por empresas distintas.

Pelo acordo, a Navistar vai fazer parte do quadro societário da Neobus, que seguirá sob a liderança de seu atual presidente, Edson Tomiello. Ele permanece como sócio controlador da companhia.

Essa parceria surgiu a NeoStar e sua produção concentrada em Caxias do Sul. A marca tem como objetivo competir no segmento de micro-ônibus e a expectativa é que sejam produzidas este ano 400 unidades. A Neobus informou ainda que os 100 primeiros veículos já saíram da linha de montagem. A marca terá foco inicial nos EUA e América do Sul.

Leia mais notícias de economia, política e negócios no jornal Brasil Econômico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.