Tamanho do texto

Refinaria diz tentar manter cinco mil empregos diretos e indiretos gerados por ela e os investimentos de R$ 1,4 bilhão previstos para os próximos quatro anos

Agência Estado

A Refinaria de Petróleos de Manguinhos informou nesta quinta-feira que vai submeter ao governo do Estado do Rio de Janeiro uma proposta para tentar manter as atividades da companhia, os cinco mil empregos diretos e indiretos gerados por ela e os investimentos de R$ 1,4 bilhão previstos para os próximos quatro anos.

Em comunicado, a empresa reitera que avalia como excessivo o ato de desapropriação da refinaria, decretado na última terça-feira (16). Segundo a Manguinhos, a desapropriação configura ameaça considerável ao valor da companhia e ao patrimônio de seus acionistas minoritários.

A empresa diz também que considera de extraordinária importância a implantação das Unidades de Polícia Pacificadora nas comunidades do seu entorno, que abre espaço para a ampliação dos projetos sociais que já apoia.

Além disso, o comunicado diz que a manutenção das operações e dos empregos criados a partir da atividade industrial é elemento indispensável para a indústria de óleo e gás brasileira, e especialmente a do Rio de Janeiro, "que atravessa um momento excepcional". Nesse sentido, diz, "a companhia pretende abrir um canal de diálogo proveitoso com as autoridades estaduais, sem abrir mão da defesa dos interesses legítimos de seus colaboradores, acionistas, clientes e fornecedores".