Tamanho do texto

Maior produtora da matéria-prima no mundo sente desaceleração da economia chinesa

Reuters

Mina de Carajás, no Pará
Agência Vale
Mina de Carajás, no Pará

A Vale deverá apresentar na quarta-feira, em seu relatório de produção, uma redução na extração de minério de ferro no terceiro trimestre em relação ao volume registrado no mesmo período do ano passado, em meio a persistentes sinais de desaceleração da economia chinesa.

Mas, apesar da forte queda dos preços da matéria-prima do aço entre julho e setembro, a maior produtora de minério de ferro do mundo mostrará que manteve firme o patamar de produção entre o segundo e o terceiro trimestres, de acordo com duas das três projeções de analistas de mercado ouvidos pela Reuters.

O Citibank projeta produção de 84 milhões de toneladas de minério de ferro pela Vale no terceiro trimestre, "equivalente a uma queda de 4% em relação ao mesmo período do ano passado e a um aumento de 5% em relação ao trimestre anterior".

"Calculamos vendas 5% maiores no trimestre ante trimestre, então prevemos que a produção deverá crescer neste mesmo ritmo", afirma o analista Leonardo Alves, da J.Safra Corretora, referindo-se ao resultado da Vale.

Já o Goldman Sachs projeta 75,2 milhões de toneladas de minério de ferro, o que representa queda tanto em relação ao trimestre anterior quanto ao volume registrado no mesmo período do ano passado.

As exportações brasileiras de minério de ferro, em sua maior parte compostas de produto da Vale, somaram cerca de 82 milhões de toneladas no terceiro trimestre, ante aproximadamente 90 milhões do mesmo período do ano passado, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

RIVAIS EM ALTA

Importantes mineradoras do mundo não reduziram produção da commodity no trimestre.

A produção da Rio Tinto no trimestre teve alta de 5,6%, para 52,6 milhões de toneladas, na comparação anual.

A BHP Billiton, terceira maior produtora do produto, deve reportar uma sólida produção de minério de ferro para o último trimestre na quarta-feira, segundo especialistas .

Analistas esperam ainda que os resultados das empresas sejam afetados pela forte queda nos preços do minério de ferro.

O minério de ferro atingiu a menor cotação em cerca de três anos no início de setembro, a aproximadamente US$ 87 por tonelada, de acordo com o Steel Index, índice de referência do minério com teor de 62% de ferro.

O preço realizado estimado para o minério de ferro da Vale é de US$ 81 por tonelada -- US$ 22 abaixo do registrado no segundo trimestre, segundo o Citibank.

OUTROS MINÉRIOS

A produção de carvão da Vale deve crescer graças à expansão da produção de Moatize, em Moçambique, um grande empreendimento da mineradora.

A extração de outros minérios produzidos pela Vale além de ferro, porém, não devem criar valor para a companhia no trimestre, avalia o Citibank.

"Esperamos que o minério de ferro e as pelotas gerem 100% do Ebitda da Vale... Os negócios da Vale com outros minérios devem gerar um Ebitda líquido zero, semelhante ao registrado no segundo trimestre".

(Reportagem de Sabrina Lorenzi)


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.