Tamanho do texto

Montadora decidiu pela continuidade da produção do veículo Classic na cidade até janeiro e suspendeu a demissão de 1.840 trabalhadores

Agência Estado

Linha de montagem de motores em São José dos Campos, no interior de São Paulo
Divulgação
Linha de montagem de motores em São José dos Campos, no interior de São Paulo

Os metalúrgicos da General Motors (GM) de São José dos Campos (SP) aprovaram a proposta feita pela montadora na quinta-feira (11) de prorrogar a suspensão dos contratos de trabalho (lay-off) de 824 funcionários. O contrato, que se encerraria em 30 de novembro, foi estendido até 26 de janeiro de 2013.

A proposta já foi aprovada pelos cerca de 4 mil trabalhadores do primeiro e do terceiro turno na manhã desta segunda-feira e será avaliada pelo segundo turno em assembleia nesta tarde. No total, a unidade da GM em São José tem cerca de 7.500 funcionários, incluindo os que estão com contrato suspenso

Na última semana, a montadora decidiu pela continuidade da produção do veículo Classic na cidade até janeiro e suspendeu a demissão de 1.840 trabalhadores - o número incluía os que permanecem em lay off.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, filiado à CSP-Conlutas, 232 trabalhadores já aderiram ao programa de demissão voluntária (PDV) até o momento. O PDV continua aberto aos demais funcionários até 30 de outubro e prevê benefícios de um a oito salários, variando de acordo com tempo de trabalho.

Sindicato e montadora seguem em negociação até 25 de janeiro para tentar evitar a demissão dos funcionários. A intenção da GM, de acordo com o sindicato, seria transferir a produção do Classic para a Argentina.