Tamanho do texto

França quer base em Toulouse, sua capital aeroespacioal no sudoeste, onde a subsidiária da EADS Airbus está localizada. Mas a Alemanha pressiona por Munique

Reuters

A França e a Alemanha têm discordado sobre a localização da sede da nova gigante do setor aéreo que será formada da fusão da europeia EADS e a britânica BAE Systems, disseram fontes próximas do tema nesta terça-feira.

A França quer que a sede do grupo seja baseada em Toulouse, sua capital aeroespacioal no sudoeste, onde a subsidiária da EADS Airbus está localizada. Mas a Alemanha está pressionando para que o grupo seja sediado próximo a Munique, disseram as fontes.

As demandas aparentemente incompatíveis constituem um dos obstáculos que precisam ser resolvidos em duras negociações que ocorrem reservadamente, depois que uma guerra verbal veio à tona a público na segunda-feira sobre a criação do novo grupo global de defesa.

Os acionistas, executivos e políticos discordaram sobre a estrutura de 60/40 por cento da fusão em favor da EADS, sobre a participação estatal e agora ocorre uma batalha nos bastidores sobre a sede enquanto as conversas continuam até o prazo limite de 10 de outubro.

A britânica BAE Systems e a EADS, controlada por acionistas públicos e privados na França e na Alemanha e com a Espanha como um parceiro menor, negociam a criação da empresa que seria resposta europeia à gigante aérea dos Estados Unidos Boeing, uma empresa que valeria 45 bilhões de dólares.

A EADS foi criada de uma fusão em 2000 e rapidamente se tornou o símbolo da integração franco-alemã com o euro, mas em metade de uma década se tornou o foco das tensões industriais entre as duas maiores economias da zona do euro.

Por Gernot Heller e Tim Hepher